PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Quatro mulheres denunciam pastor em Goiás por abuso sexual

Pastor Joaquim Gonçalves Silva, 85, foi acusado de abuso sexual - Reprodução/Tv Anhanguera
Pastor Joaquim Gonçalves Silva, 85, foi acusado de abuso sexual Imagem: Reprodução/Tv Anhanguera

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/06/2021 16h55

Uma adolescente de 17 anos denunciou o pastor Joaquim Gonçalves Silva, de 85 anos, de uma igreja em Goiânia, no estado de Goiás, por assédio sexual. De acordo com a TV Anhanguera, afiliada da Globo na região, além dela, outras mulheres também prestaram queixa contra ele por crimes sexuais.

"Ele começou a importunar, a passar a mão em mim, me beijar. Eu tentei sair da situação, mas ele me puxou pela cintura", disse a jovem, que teve sua identidade preservada, à emissora. Ela contou que queria conselhos a respeito de um casamento em crise e que o caso aconteceu no começo do ano.

Outra mulher relatou que trabalhava no escritório do templo do pastor, quando ele começou a assediá-la. "Ele começou a sentar do meu lado, muito perto, fora do normal. Aí ele começou a me tocar, no ombro, no rosto, no cabelo. Ele me falou: 'isso é para me trazer virtude. Você me faz bem'", contou.

Ela afirmou que os assédios ocorreram há 20 anos e que não falou nada até agora por medo, uma vez que teria sido ameaçada.

Veio a primeira ameaça: 'Se você falar para alguém, alguma coisa de muito ruim pode acontecer com você, com sua família. Uma maldição pode recair sobre vocês. Você não quer isso né?'"

Uma outra disse que procurou o pastor por conta de um término. "Inocentemente deitei no ombro dele chorando. Aí ele passou as mãos na minha perna, eu meio que assustei".

Ele me colocava em um colchãozinho que tem no escritório. Ele fazia tudo que queria comigo, menos tirar minha virgindade, porque não deixei. Eu falava que isso estava errado, mas ele dizia que aquilo dava força para ele pregar. Foi dois anos dele fazendo isso comigo, dos 16 aos 18".

Joaquim Gonçalves é pastor na igreja Tabernáculo da Fé, cuja sede fica no bairro Ipiranga, em Goiânia. Segundo a TV Anhanguera, a Polícia Civil recebeu quatro denúncias contra ele, com a denúncia da menor de idade sendo registrada na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Os casos foram levados às autoridades no início do ano. Entretanto, a delegada precisou arquivar a maioria das ocorrências, uma vez que os crimes prescreveram.

A denúncia da menor segue dentro do prazo para investigação e testemunhas foram ouvidas. O UOL entrou em contato com a Polícia Civil, mas não teve resposta até a publicação deste texto.

Outro lado

À emissora, a defesa do pastor disse que as denúncias são parte de um "esquema de disputa de poder", por conta do crescimento da igreja.

"Todas essas denúncias são originadas de um grupo de pessoas que querem tomar a liderança de uma igreja. Como não conseguiram por trabalho sério, credibilidade, estão tentando tomar por injúrias, calúnias, difamação. Vamos juntar a documentação e entregar às autoridades por crime de extorsão", disse o advogado do pastor, Osemar Nazareno Ribeiro.

Cotidiano