PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Buscas por Lázaro Barbosa entram no 12º dia com barreiras em estradas

Do UOL, em São Paulo*

20/06/2021 10h09Atualizada em 20/06/2021 15h40

Pelo 12º dia consecutivo, a polícia segue com as buscas por Lázaro Barbosa, de 32 anos. Barreiras foram montadas pela força-tarefa em estradas de terra e rodovias localizadas em Águas Lindas e Cocalzinho, em Goiás. A BR-070 também está sendo monitorada pela barreira policial. A partir de agora, a polícia conta com reforço de cães farejadores ao longo da tentativa de captura.

Lázaro é suspeito de cometer um quádruplo latrocínio em Ceilândia, no Distrito Federal, além de outros crimes em Goiás.Ele também teria atacado idosos com golpes de machado em Goiás. Durante a fuga, ele ainda chegou a fazer outra família refém, mas a polícia chegou a tempo de evitar que eles fossem mortos.

A suspeita da polícia é que Lázaro está saindo no período da noite para buscar comida e caminhando por riachos para não deixar rastros.

Mais de 200 policiais participam das buscas. As ações tem sido comandadas pela SSP-GO (Secretaria de Segurança Pública de Goiás), com ajuda de equipes do Distrito Federal e das polícias Federal e Rodoviária Federal.

Durante as buscas da polícia por matas na região de Cocalzinho de Goiás, a polícia encontrou algumas pistas sobre o paradeiro de Lázaro Barbosa. Na tarde da última quinta-feira (17), o efetivo encontrou um colchonete. No entanto, até agora não há certeza de que o objeto pertença ao suspeito.

Uma camisa ensanguentada que pode ser de Lázaro também foi encontrada durante as buscas. A polícia chegou a levantar a hipótese de que o suspeito esteja ferido. O tecido foi levado para análise. O objetivo é confirmar se pertence ou não ao procurado.

Notícias falsas prejudicam buscas

De acordo o chefe da SSP-GO, Rodney Miranda, as notícias falsas sobre o caso têm causado prejuízos para a investigação. Em coletiva de imprensa, Miranda afirmou que os investigadores deixam de atender mais rapidamente às informações que são verdadeiras para atender outras que não têm relevância.

É um problema sim. Não só essa Fake News [de que Lázaro estaria em um cemitério], como outra de que ele já havia sido baleado, que já estava morto. Tudo isso atrapalha, porque não só a nossa Inteligência, como as unidades de operação, tem que checar. Às vezes a gente deixa de atender mais rapidamente uma informação procedente, para atender uma que não tem relevância
Rodney Miranda

A produção de falsas notícias sobre o caso é vista como uma situação complexa por Miranda, e de difícil resolução. Ao mesmo tempo, o chefe da SSP afirmou que a operação estava avançando.

Líderes religiosos denunciam violência policial

Lideranças religiosas de espaços tradicionais de matriz africanas em Águas Lindas de Goiás e outros distritos do estado denunciam ações violentas da polícia durante as buscas por Lázaro Barbosa.

Os relatos apontam que equipes invadiram os terreiros várias vezes nos últimos dias, de forma truculenta e vasculhando telefones celulares e computadores sem qualquer mandado judicial.

Para a Agência Estafo, os líderes informaram que a polícia tem apontado armas para eles durante as buscas nas áreas dos terreiros, até áreas restritas para a religião. Um boletim de ocorrência chegou a ser registrado em função das abordagens.

Tata Ngunzetala, líder afrotradicional de candomblé que lidera mais de 30 casas na região detalhou como a polícia tem feito as abordagens.

Estamos sofrendo, neste momento estou falando pela dor de muitas casas, sofrendo invasões constantes de polícias de vários comandos, não dá nem para saber qual, violando nossos sagrados, colocando rifles na nossa cabeça sob acusação de que estamos acoitando o Lázaro
Tata Ngunzetala

* Com informações da Agência Estado

Cotidiano