PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

RJ: 5 meses após Belo, PM detém 40 pessoas em escola que teria show de Ret

Complexo da Maré - Douglas Lopes/Redes da Maré
Complexo da Maré Imagem: Douglas Lopes/Redes da Maré

Lola Ferreira

Do UOL, no Rio

16/07/2021 16h44Atualizada em 16/07/2021 19h31

A Polícia Militar do Rio de Janeiro faz hoje uma operação no Complexo da Maré, zona norte da capital. O Ministério Público do Rio de Janeiro informou que foi comunicado sobre a ação oficialmente, conforme decisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

A PM informou ao MP-RJ que o objetivo era retirar "criminosos que estariam utilizando uma escola como base". Durante a ação, o Ciep 326 foi interditado — no local aconteceria o "Arraiá do P.U", com show de Filipe Ret. Procurada, a produção de Ret não respondeu até a publicação desta reportagem.

No Twitter, a PM afirmou que ao menos 40 pessoas foram detidas na unidade de ensino, mas não foram identificadas. Elas foram levadas para a Delegacia de Bonsucesso (21ª DP). Até as 19h, moradores ainda relatavam a presença de policiais nas ruas da comunidade.

A ação acontece cinco meses após o show de Belo, no mesmo local, que culminou na prisão do cantor por um dia. A alegação da Polícia Civil, à época, era de envolvimento do cantor com o tráfico de drogas da comunidade.

Em junho, a escola também foi palco de show do MC Cabelinho. O evento de hoje estava sendo divulgado nas redes sociais no dia 23 de junho.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação informou que não autoriza eventos do tipo durante a pandemia, e que não recebeu pedido para o show de hoje. A pasta também diz que não há aulas presenciais atualmente, devido ao recesso escolar.

Ação com objetivo de impedir baile

A ação acontece sob vigência da decisão do STF que restringe operações policiais no Rio durante a pandemia. A ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) 635 permite ações do tipo somente em casos excepcionais, com obrigatória comunicação ao MP-RJ.

Nas redes sociais, moradores relataram a presença de carros blindados — os chamados caveirões — e helicópteros, estes também restritos pela mesma decisão do Supremo.

Procurada pelo UOL, a assessoria de comunicação do MP-RJ informou que foi comunicada oficialmente às 17h28, duas horas após o início da operação. Ainda assim, a comunicação é regular por ter sido feita em até 24 horas, como determina a ADPF 635.

De acordo com a nota, a instituição irá analisar os impactos da ação a partir de um relatório preliminar. É nesta etapa, por exemplo, que é avaliado o uso correto ou não dos helicópteros.

No perfil oficial da PM no Twitter, há a publicação de uma pistola e de um fuzil, supostamente apreendidos durante a ação de hoje. Um vídeo gravado no interior da unidade de ensino também foi publicado pela corporação. Nele, há registro de equipamentos de som, caixas de cerveja e tendas.

Por volta das 16h, a Linha Vermelha, uma das principais vias expressas da cidade, foi fechada nos dois sentidos. A via faz ligação entre o centro da cidade e a Baixada Fluminense, além de ser o principal caminho para o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Ela foi reaberta às 16h33, de acordo com o Centro de Operações Rio.

Cotidiano