PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Casal é preso suspeito de roubar R$ 164 mil de lotérica no RJ

Polícia Civil do RJ apreendeu relógios de luxo e celulares que teriam sido comprados com dinheiro de assalto - Reprodução/Polícia Civil do RJ
Polícia Civil do RJ apreendeu relógios de luxo e celulares que teriam sido comprados com dinheiro de assalto Imagem: Reprodução/Polícia Civil do RJ

Do UOL, em São Paulo

03/08/2021 16h04Atualizada em 03/08/2021 17h08

Um casal foi preso na manhã de hoje sob suspeita de participação no roubo a uma casa lotérica em Barra do Piraí, cidade no sul do estado do Rio de Janeiro.

O crime ocorreu no início de junho. A mulher suspeita era funcionária do estabelecimento e chegou a prestar depoimento na 88ª DP sob status de vítima. Ao todo, R$ 164 mil foram roubados do local.

Segundo nota da Polícia Civil do Rio de Janeiro, a desconfiança em torno do casal começou quando um dos policiais não acreditou na versão apresentada pela funcionária. Com investigações, as autoridades descobriram que a funcionária e seu namorado passaram a viver "uma lua de mel" nas semanas após o crime, gastando dinheiro com viagens e restaurantes caros.

Além disso, os dois também adquiriram relógios de luxo, aparelhos de telefone celular e um carro. Em uma das viagens, a dupla se hospedou em um hotel no Leblon, Zona Sul do Rio, com diárias de até R$ 1,5 mil.

Segundo a equipe da 88ª DP, responsável pelo caso e pelo monitoramento da suspeita, as investigações mostraram que ela teria planejado tudo com o namorado, que praticou o roubo.

"Por meio de um levantamento de informações, coleta de depoimentos e análise de imagens, a equipe da 88ª DP realizou diligências e os criminosos foram capturados no município de Volta Redonda, Região do Médio Paraíba, com apoio da 93ª DP (Volta Redonda). O casal responderá pelo crime de roubo e pode pegar até 15 anos de prisão", detalhou a nota da Polícia Civil.

A Delegacia de Barra do Piraí ainda destacou que não descarta a participação de outras pessoas e que, por isso, as investigações prosseguem.

Cotidiano