PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Paes admite erro, mas Rio já projeta Réveillon para 3 milhões de pessoas

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD) - Reprodução/Youtube
O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD) Imagem: Reprodução/Youtube

Ruben Berta

Do UOL, no Rio

06/08/2021 12h03

Enquanto o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), admitiu nesta sexta (6), em entrevista à imprensa, que errou na comunicação de um plano de retomada das atividades já no mês que vem, a Riotur (Empresa de Turismo do Rio) já projeta um Réveillon para 3 milhões de pessoas na capital.

Para a festa na Praia de Copacabana, que teria três palcos, a previsão é de um público de 2 milhões de pessoas, com queima de fogos e "obrigatoriamente uma atração de renome internacional".

Também estão previstas festas no Flamengo (zona sul), Parque Madureira (zona norte), em outros sete bairros e na Ilha de Paquetá. Pela primeira vez, haveria palcos em Bangu e no Boulevard Olímpico, no Centro. Para esses eventos, a expectativa é de 1 milhão de pessoas.

As estimativas aparecem nos cadernos de encargos e contrapartidas, publicados hoje no site da Riotur. Eles estabelecem as funções de empresas que queiram patrocinar ou participar da organização dos eventos.

Apesar da previsão otimista, os cadernos de encargos da Riotur ressaltaram que todo o planejamento pode não se concretizar caso o cenário da covid-19 na cidade não esteja favorável.

"[A festa] será condicionada às determinações estabelecidas pelos órgãos competentes, no combate à covid, ante a responsabilidade social, inclusive com a impossibilidade de realização do evento."

No final de julho, Paes havia anunciado um projeto de retomada das atividades já a partir do início de setembro. Entre os dias 2 e 5, seriam realizados diversos eventos, com DJs na orla, atividades nas vilas olímpicas, campeonato de futebol nas comunidades e partidas com 50% de público nos estádios.

Na entrevista coletiva de hoje, o tom foi outro:

Começamos a observar um aumento do número de casos esta semana basicamente fruto da variante delta. Isso me leva a reafirmar algo que talvez eu pessoalmente tenha comunicado mal. Quando a gente anuncia programação de reabertura, a gente não quer dizer --e eu admito o fato de ter passado essa impressão de maneira equivocada-- que a situação está sob controle.
Eduardo Paes, prefeito do Rio

"Todo o nosso planejamento guarda evolução com o nosso cenário epidemiológico. Neste momento, por exemplo, com casos em alta, a tendência não é de abrir, é de fechar mais", disse o prefeito.

Paes afirmou ainda que espera que toda a população adulta da cidade do Rio esteja vacinada com a primeira dose nos próximos dez dias.

Nesta sexta (6), estão sendo vacinadas pessoas com 28 anos na capital fluminense, além da repescagem para quem tem acima de 50 anos, grávidas e puérperas e pessoas com deficiência.

Cotidiano