PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Seis morrem e 12 ficam feridos em ataque em festa 'paredão' em Salvador

Festa paredão acabou com mortos em Salvador - Reprodução de vídeo
Festa paredão acabou com mortos em Salvador Imagem: Reprodução de vídeo

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

13/10/2021 09h49Atualizada em 13/10/2021 15h21

Uma briga entre grupos rivais acabou com uma festa "paredão", em Salvador, matando seis pessoas e deixando outros 12 baleados, na madrugada de hoje, segundo a Polícia Civil. A festa ocorreu na travessa Oito de Dezembro, no bairro do Uruguai. Segundo a polícia, um grupo armado chegou à festa para matar um homem, quando ele e outros colegas revidaram com tiros de arma de fogo. Durante o tiroteio, pessoas que não estavam envolvidas na confusão acabaram atingidas, como também outras do grupo rival

Policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) investigam a chacina. Dois suspeitos de participarem do crime foram presos em flagrante e estão sob custódia da polícia em hospitais de Salvador. Os nomes deles não foram informados pelas autoridades.

A PM (Polícia Militar) informou que equipes realizavam ronda pela área quando foram acionadas por testemunhas, que relataram que estava ocorrendo um tiroteio. A PM informou que realizou buscas na região para localizar os suspeitos do crime, logo após chegar ao local, mas não conseguiu prender ninguém naquele momento.

Hoje, equipes de inteligência da Polícia Civil da Bahia conseguiram identificar dois atiradores, que estão internados em hospitais em Salvador. Assim que eles receberem alta, eles serão transferidos para carceragem do DHPP.

As festas paredão ganharam esse nome por conta dos grandes equipamentos sonoros que são usados nelas, formando uma espécie de "parede" de alto-falantes.

Mortos e feridos

Segundo a Polícia Civil da Bahia, duas pessoas morreram no local, antes do socorro médico chegar, sendo um adulto e um adolescente, de 16 anos. Outras quatro morreram ao serem socorridas para diferentes hospitais de Salvador.

As vítimas baleadas também foram socorridas para diferentes unidades hospitalares, como as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Santo Antônio e de San Martins, HGE (Hospital Geral do Estado) e hospital do Subúrbio. Ainda não há informações sobre o estado de saúde delas.

Cinco das vítimas fatais foram identificadas: Adriane Oliveira Santos, Deivison da Conceição Santos Santana, Jailton Sales dos Santos, Terezinha Sales dos Santos e uma pessoa de 16 anos - cujo nome será preservado. A sexta vítima ainda não foi identificada.

A diretora do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), delegada Andréa Ribeiro, disse que o alvo dos criminosos morreu durante o confronto. Ele tem passagens pela polícia pelos crimes de roubo e de homicídio. Não se sabe se ele pertence a alguma facção criminosa.

"Esse crime foi motivado por pessoas que estavam armadas que se desentenderam com um desses indivíduos, que veio a óbito e ele tem passagem pela polícia por crimes de roubo e homicídio. Pessoas que estavam na companhia dele revidaram e não só atingiram as que estavam armadas, mas pessoas que estavam na festa para se divertir", relatou a delegada.

Investigadores estão à procura de vítimas que se feriram no tiroteio e não buscaram atendimento médico. A polícia ainda apura o número de inocentes atingidos pelo tiroteio.

"Como foi um caso envolvendo muitas vítimas, estamos separando o joio do trigo. Estamos na fase de identificar quem dos feridos era inocente e quem fazia parte do grupo criminoso. Pode haver mais feridos que não procuraram socorro médico", disse a delegada, destacando que a Polícia Civil da Bahia está empenhada em dar uma resposta célere ao caso devido ao "grande número de inocentes vitimados."

A polícia não soube informar a motivação da morte do homem, que acabou gerando o tiroteio. Uma fonte do UOL informou que o alvo foi identificado pelo nome de Deivison da Conceição Santos Santana, conhecido pelo apelido de Binho. A polícia não confirma o nome dele entre a lista das vítimas fatais divulgada na manhã de hoje, apesar do nome constar dentre os mortos.

Cotidiano