PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Motorista de ônibus é questionado por ser gay e reação viraliza: 'Deboche'

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

26/10/2021 10h09Atualizada em 26/10/2021 10h53

Com pouco mais de 300 seguidores, o motorista de ônibus Leandro Miranda, de 43 anos, viu esse número saltar para mais de 21 mil pessoas, de um dia para o outro. Na sexta-feira (22), um vídeo publicado por ele nas rede sociais viralizou: ele fez piada com um comentário feito por uma passageira questionando sua sexualidade.

No vídeo, Miranda diz que a passageira perguntou a ele como é ser um motorista de ônibus gay. E ele não se abateu. "Vou chorar? Vou gritar? Coloquei ela no lugar dela, sem precisar me aborrecer, até porque eu estava no meu local de trabalho, não podia perder o controle da situação", disse Leandro em entrevista ao UOL.

O motorista de ônibus, que atua na área há 9 anos e é abertamente gay, contou que durante uma das viagens, ele chegava ao ponto de parada da empresa - local onde os motoristas precisam informar o horário que deixou a garagem -, quando um fiscal falou: "Bebê, que horas você saiu?". Neste momento Leandro conta que uma passageira se espantou com a abordagem.

leandro - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Leandro Miranda foi questionado sobre como é ser um motorista de ônibus gay, e sua resposta surpreendeu positivamente
Imagem: Reprodução/Instagram

"Ela no mesmo instante me perguntou se o fiscal havia me chamado de 'bebê' e eu disse que sim. Aí ela perguntou se não me importava e eu respondi dizendo que não. A passageira falou: 'As pessoas escutando podem achar que você é gay'", relatou Miranda.

Mais chocante foi quando ele ouviu da mulher um questionamento de "como" ele é motorista de ônibus sendo homossexual.

No vídeo publicado nas redes sociais, Leandro Miranda brincou com a situação com a pergunta da passageira de como ele dirige o ônibus: "Dando pinta: 'Vou armar a seta', 'Vou parar, hein', 'Mona, tem troco?'", brinca o motorista.

Preconceito velado

"Foi engraçado, mas foi um preconceito velado", disse Miranda. "Ela não foi grosseira, nem rude. Ela tem a mente engessada. Eu levei de boa, até porque eu sou assim, nesses meus 43 anos de vida, eu me entendo como homossexual desde os 15. Se eu fosse brigar com todo mundo que falou desrespeitoso, eu ia brigar com muita gente. A maturidade me fez aprender a lidar e tenho uma pitadinha de deboche (risos)."

Ao UOL, Leandro admitiu surpresa com a repercussão e disse que muitas pessoas o procuraram. "Gostaria de responder todo mundo, mas não consigo. Tem artista na minha página comentando, me seguindo, até uns que eu sou fã. Tem coisas que são simples de se resolver, como eu fiz", finalizou o motorista.

Cotidiano