PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Casal se assusta ao acordar com cobra subindo pelos pés em SC

Resgate da cobra foi feito por equipe dos Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul, no norte de Santa Catarina - Reprodução/ Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul (SC)
Resgate da cobra foi feito por equipe dos Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul, no norte de Santa Catarina Imagem: Reprodução/ Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul (SC)

Caio Santana

Do UOL, em São Paulo

24/11/2021 15h26Atualizada em 25/11/2021 10h59

Um casal foi acordado na madrugada de segunda-feira (22) ao perceber que uma cobra subia pelos seus pés, em Jaraguá do Sul (SC). O homem e a mulher - que não foram identificados - estavam dormindo na sala de estar. Esta não teria sido a primeira vez o animal foi visto na casa.

Segundo os Bombeiros Voluntários da cidade, a mulher já havia os acionado há cerca de um mês, pois alegou ter visto uma cobra no banheiro. Na ocasião, eles não encontraram nada. Desta vez, eles capturaram uma serpente de cerca de 1 metro.

Eles disseram que a mulher e o companheiro se assustaram ao notarem que era uma cobra e não o gato deles.

Apesar do susto, a cobra encontrada não era venenosa, pois se tratava de uma falsa-coral, que possui mais de 60 espécies do tipo no Brasil contra as cerca de 30 espécies da coral verdadeira - esta sim venenosa. O exemplar foi recolhido de dentro do sofá retrátil da residência e não chegou a picar a moradora.

foto 1 - Reprodução/ Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul (SC) - Reprodução/ Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul (SC)
Cobra foi encontrada no sofá-cama da residência quando resgatada pelos bombeiros
Imagem: Reprodução/ Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul (SC)

Depois de resgatada e encaminhada para a Fujama (Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente), agora a cobra está sendo avaliada por biólogos especialistas e deve ser solta na natureza até o final da semana.

"Essa serpente não representa perigo, apesar de ela ter um certo veneno, um veneno fraco, mas é difícil acontecer acidentes com ela, porque o dente que injeta veneno fica bem nos fundos da boca", explicou ao UOL Gilberto Ademar Duwe, biólogo da Fujama. "E esse veneno é um veneno fraco, para nós, seres humanos, os sintomas são bem leves e não chega a evoluir para um caso grave."

Ao encontrar esses animais, o especialista indica que a pessoa deve entrar em contato com órgãos do município que façam resgate de animais. Por existirem muitas espécies de serpentes e a maioria não ser perigosa, é difícil a identificação por quem não é profissional.

"É importante fazer esse contato para a remoção do animal. Lembrando que somente em casos em que for na área urbana. Em área de natureza, uma trilha, o animal está no ambiente natural dele", ressalta Duwe.

Cotidiano