PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Paes cancela Réveillon no Rio, mas Castro fala em reunião por decisão final

Do UOL, em São Paulo

04/12/2021 14h12Atualizada em 04/12/2021 18h32

Horas depois de o prefeito Eduardo Paes (PSD-RJ) anunciar o cancelamento do Réveillon no Rio de Janeiro, o governador do estado, Cláudio Castro (PL-RJ), escreveu no Twitter que uma reunião na próxima semana será a responsável por uma "decisão final" sobre as festas de Ano Novo na cidade.

Mais cedo, Paes disse que a decisão foi tomada após manifestação do comitê científico do estado recomendando que a tradicional festa na praia de Copacabana não fosse realizada por causa da preocupação com a variante ômicron. O prefeito disse que queria fazer o evento e tinha o aval do comitê municipal, mas que decidiu seguir a orientação mais restritiva do governo estadual e cancelar a festa.

"Falei há pouco com o prefeito Eduardo Paes e decidimos, juntos, que faremos uma reunião na próxima semana para uma decisão final sobre as festas do Réveillon. Nesse encontro, participarão técnicos da saúde do Estado e do município", escreveu Castro.

O UOL entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura e espera resposta para esclarecer se existe a possibilidade de recuo em relação ao cancelamento da festa.

Durante entrevista na manhã de hoje, Paes disse era "muito difícil voltar atrás" de sua decisão porque não se trata de "uma festinha entre amigos", sendo necessário tempo para a sua organização.

"Estamos falando de um evento que leva 3 milhões de pessoas à Copacabana, não é algo que você muda de opinião toda hora, tem um limite, estamos chegando a ele", disse.

"Gestor solidário"

Depois de diversos atritos ao longo da pandemia entre prefeitura e governo, Eduardo Paes disse hoje cedo que Cláudio Castro tem se mostrado um "gestor solidário" e não fez ligação entre o governador e a decisão do comitê científico estadual.

"Não sei se ele foi surpreendido [pela decisão do comitê]. Nem eu mando no meu nem ele no dele. Tanto eu como o Cláudio Castro não somos epidemiologistas, por isso nos cercamos de comitê", disse.

Além da festa em Copacabana, Castro e Paes devem tratar na reunião de outros aspectos relativos ao Réveillon na cidade, como as comemorações em hotéis. Questionado sobre o assunto na manhã de hoje, o prefeito se limitou a dizer que era preciso 'perguntar para o comitê'.

Cotidiano