PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Bicheiro que mandou Escritório do Crime matar rival é preso na Colômbia

Algemado, o bicheiro Bernardo Bello é conduzido por policiais na Colômbia - Divulgação/ MPRJ
Algemado, o bicheiro Bernardo Bello é conduzido por policiais na Colômbia Imagem: Divulgação/ MPRJ

Igor Mello

Do UOL, no Rio

29/01/2022 08h41

Uma ação conjunta do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), da Polícia Civil e da Interpol conseguiu prender na noite de ontem (28) Bernardo Bello, apontado como um dos principais bicheiros do Rio de Janeiro no momento. Ele foi detido em Bogotá, na Colômbia.

Ele é acusado de ter contratado o Escritório do Crime —grupo de matadores de aluguel fundado por Adriano da Nóbrega— para assassinar o rival Alcebíades Paes Garcia, o Bid, seu rival na disputa por pontos de jogo do bicho. Bid foi morto no dia 25 de fevereiro de 2020, quando voltava para casa após acompanhar o desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí.

A ordem de prisão contra Bernardo Bello foi emitida pelo 1º Tribunal do Júri da Capital. Segundo o MP, o crime ocorreu em função da disputa por pontos de jogo do bicho na zona sul e em parte da zona norte da capital.

De acordo com as investigações, foram contratados para realizar o assassinato dois integrantes do Escritório do Crime: Leonardo Gouvêa da Silva, o Mad, e seu irmão Leandro Gouvêa da Silva, conhecido como Tonhão. Os dois foram alvos de mandado de prisão preventiva no mesmo processo, mas já se encontram presos por relação com outros crimes. Segundo o MP, os dois fizeram "intensa vigilância" sobre a rotina de Bid por cinco meses como forma de garantir o sucesso da ação criminosa.

Também foram presos hoje dois homens que atuavam como seguranças de Bid no dia do crime. Thyago Ivan da Silva e Carlos Diego da Costa Cabral foram denunciados pelo MP, respectivamente, pelo fornecimento de informações e localização da vítima e abandono de seu posto de vigilância.

Já Wagner Dantas Alegre, que trabalhava como segurança de Bernardo Bello, foi identificado como o responsável pelos disparos de fuzil 5.56 que mataram Bid. Ele é procurado pelos investigadores.

Em nota, a defesa de Bernardo Bello diz que ele é inocente da acusação e que irá apresentar um habeas corpus para que ele seja libertado.

"Bernardo Bello estava em viagem com os filhos menores de idade no exterior e foi preso retornando ao Brasil. Ele é inocente do fatos que lhe imputam e vale informar que sempre esteve a disposição das autoridades brasileiras. Devido a isso, a defesa irá requerer sua soltura por habeas corpus", Fernando Augusto Fernandes, advogado de defesa de Bernardo Bello.

Cotidiano