PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

Agente da polícia fura blitz e dirige na contramão em perseguição de 30 km

Jéssica Lima

Colaboração para o UOL, em Brasília

22/02/2022 11h28Atualizada em 22/02/2022 21h27

Um agente de custódia da Polícia Civil do Distrito Federal de 59 anos foi preso neste domingo (20) e encaminhado à delegacia após furar uma blitz da Polícia Militar, no posto policial da DF-001, no Lago Sul, a 7 km do centro de Brasília. A fuga foi registrada pelos policiais e durou cerca de 30 km.

Segundo a Polícia Militar, a equipe do Batalhão de Policiamento Rodoviário ( BPRV) realizava um ponto de bloqueio na QI 29 do Lago Sul, por volta de 19h, quando deu ordem de parada a um veículo Nissan Frontier branco que estava em alta velocidade.

Logo após o início da abordagem, o motorista alegou estar com um carro policial descaracterizado. Porém, sem autorização da corporação, acelerou e fugiu do local.

persegue - Reprodução de vídeo - Reprodução de vídeo
Perseguição envolvendo agente da Polícia Civil durou 30 km
Imagem: Reprodução de vídeo

As equipes iniciaram o acompanhamento que durou cerca de 30 km. Dentro do carro do policial estavam, ainda, uma mulher sentada no banco da frente e uma criança na parte de trás. No vídeo, obtido pelo UOL, é possível observar que o condutor "joga" o veículo pra cima da viatura e dirige pela contramão.

"Olha só ele jogando o carro. Tem uma criança dentro do carro. Ele (motorista) está colocando em risco a vida do próprio filho", diz um policial que estava na viatura e participava da ação. Pelas imagens, também é possível observar que a PM tenta várias vezes convencer o homem a parar o veículo.

A perseguição durou certa de quarenta minutos. O motorista só parou na região de Sobradinho, onde acabou cercado pelos militares e se entregou. O servidor, que não teve o nome divulgado, foi detido e conduzido à 13ª Delegacia de Polícia.

De acordo com a PM, o homem se negou a realizar teste do bafômetro.

"Foi informado ao delegado plantonista que o condutor possuía sinais de embriaguez como olhos vermelhos, agressividade e odor etílico", disse a corporação, em nota.

Ele assinou um termo circunstanciado na delegacia e foi liberado. A cópia da ocorrência foi encaminhada à Corregedoria, que vai apurar os fatos, segundo a Polícia Civil.

Cotidiano