PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Guinness: por que brasileiros são 'esquecidos' no recorde de mais velhos?

Dona Josefa chegou aos 120 anos em fevereiro e poderia garantir o título de "mulher mais velha do mundo", mas questões burocráticas e financeiras estão em jogo - Carlos Madeiro/UOL
Dona Josefa chegou aos 120 anos em fevereiro e poderia garantir o título de "mulher mais velha do mundo", mas questões burocráticas e financeiras estão em jogo Imagem: Carlos Madeiro/UOL

Colaboração para o UOL

30/04/2022 08h49

Existem no Brasil dois nomes muito cotados para entrar na próxima edição do Guinness World Records, o livro internacional dos recordes que é divulgado anualmente. Josefa Maria da Conceição e Isabel Alves de Carvalho, conhecida também como Dona Belinha, podem virar a pessoa mais velha do mundo. O problema é que não é tão simples receber o título.

Como uma pessoa pode entrar para o livro dos recordes?

Os candidatos a quebras de recorde precisam, antes de mais nada, se inscrever no site oficial do Guiness. Ou seja, precisa haver uma vontade da pessoa de ir atrás do título e enviar provas da realização da conquista.

Por exemplo, no caso da Josefa e da Dona Belinha, documentos que comprovem sua idade serão fundamentais. Por conta do longo tempo de vida, alguns desses comprovantes podem ser difíceis de localizar, o que impede a garantia do título.

O Guinness World Records conta com uma equipe de gerenciamento de registros que faz pesquisas para validar a conquista do recorde. Eles também são responsáveis por analisar todas as inscrições e documentação enviada.

Além disso, há também quem não se inscreva no site para participar do processo de análise do livro, deixando de lado a garantia da quebra de recorde.

Feito isso, o prazo para registro é de 12 semanas, mas se você pagar pela "Candidatura Prioritária" as orientações saem em 5 dias úteis.

  • Para títulos existentes custa 500 libras / 800 dólares / 630 euros (mais taxas), o que dá cerca de R$ 4.004.
  • Para títulos novos custa 650 libras / 1.000 dólares / 820 euros, o que dá cerca de R$ 5.000 na conversão direta.

Se não pagar, o processo é longo, mas válido também.

O que deve ser enviado na inscrição?

No site oficial, existem sugestões do que deve ser preenchido —tudo é feito online.

  • O que você deseja alcançar;
  • Como, onde e por que você deseja alcançá-lo;
  • Quaisquer links que possam ajudar nossa equipe a entender sua proposta.

Se a proposta para um novo título for aceita, ou se estiver solicitando um título existente, você receberá orientações para tentar o recorde. Também é importante que seja feita qualquer pergunta bem antes de qualquer tentativa de recorde.

Existe prêmio em dinheiro?

O Guinness não efetua pagamentos aos recordistas por suas conquistas ou por realizar uma tentativa de título de recorde. Também não cobre despesas, oferece patrocínio ou fornece equipamentos.

É possível sugerir novos títulos?

É possível, sim, mas os títulos de recordes do Guinness World Records devem atender a critérios-chave e serem mundiais, como:

Mensurável
É o mais rápido / mais longo / mais pesado / mais...?

Quebrável
O recorde pode ser quebrado ou repetido por outra pessoa?

Padronizável
O título do disco pode ser feito universalmente? Por exemplo, não pode estar relacionado a algo restrito a uma região.

Verificável
A alegação pode ser comprovada? Por exemplo, uma afirmação como "o homem que nunca bebeu água" nunca pode ser verificada a menos que o homem tenha passado toda a sua vida desde o nascimento sob vigilância de uma testemunha.

Uma variável
Poderia verificar a maior pintura, mas não consideraria a maior pintura pela maioria das pessoas.

Universal
A proposta deve ser algo, ou sobre algo que seja conhecido pela maioria do mundo. Não pode ser muito específico/regional.

Substancialmente diferente de um recorde atual
Se sua sugestão de recorde for semelhante a algo que já existe, será pedido a você que quebre o recorde atual em vez de aprovar uma variação do mesmo título.

Cotidiano