PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Filho diz que mãe admitiu ter envenenado enteados; irmã citou líquido verde

Cíntia (ao fundo) posa com Fernanda, Bruno e o marido  - Reprodução/TikTok
Cíntia (ao fundo) posa com Fernanda, Bruno e o marido Imagem: Reprodução/TikTok

Do UOL, em São Paulo

26/05/2022 09h38Atualizada em 27/05/2022 09h53

O filho biológico de Cíntia Mariano prestou depoimento na 33ª DP, em Realengo, na sexta-feira (20), e relatou que a mãe confessou ter envenenado os dois enteados. A irmã dele disse ter visto um líquido esverdeado no prato de Bruno Cabral, 16. A polícia suspeita que o crime foi praticado pois Cintia tinha ciúme da relação do marido com os enteados.

Em documento obtido pela TV Globo, Lucas Mariano afirmou que ela colocou comida para o enteado e em seguida colocou chumbinho no feijão do prato dele. Após isso, ela teria colocado mais feijão no prato dele para disfarçar o veneno e o gosto ruim da comida.

Ainda segundo o depoimento do garoto, ele perguntou para Cintia se teria feito o mesmo com Fernanda e ela confirmou, alegando que "fez tudo isso por amor ao Adeilson", pai de Fernanda Cabral, 22, e Bruno.

Já a irmã disse, em depoimento, ter visto um líquido esverdeado escuro e brilhoso no fundo do prato de Bruno, e que ela deu risada ao colocar mais feijão, depois dele ter reclamado do gosto da comida.

O médico Bruno dos Santos prestou depoimento por duas horas na delegacia de Realengo, ele foi chamado por estar de plantão no Hospital Municipal Albert Schweitzer e ter atestado a morte de Fernanda Cabral.

"Não tive contato com a paciente, nem sei quem é", afirmou ele. Outros 10 médicos ainda devem prestar depoimento. É previsto que o corpo da jovem seja exumado hoje para analisar se ela também foi envenenada.

Em audiência de custódia, a Justiça decidiu manter a prisão de Cíntia por mais 30 dias. A suspeita também está sendo investigada por supostamente ter envenenado o ex-marido e o vizinho dele.

Entenda o caso

Bruno Cabral começou a passar mal após comer um prato de feijão servido por Cintia. Jane Carvalho Cabral, mãe de Bruno, afirmou que o filho já era desconfiado e estranhou o feijão com "pedrinhas azuis".

"Quando ele começou a comer, estranhou o gosto do feijão. Foi cutucar a comida para ver o que tinha e encontrou pedrinhas azuis, do tamanhinho de gergelim, como se tivessem sido trituradas num pilão. Ele perguntou o que era aquilo. Foi quando ela arrancou o prato da mão dele, nervosa, tirou a parte das bolinhas e colocou mais feijão, como se quisesse disfarçar o gosto", disse ela.

Dado como morte natural na época, Cintia também passou a ser suspeita da morte da enteada Fernanda Cabral em março deste ano. A família autorizou a exumação do corpo dela para a polícia analisar se também foi envenenamento.

Cotidiano