PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Aos 85 anos, padre celebra casamento do neto no RS: 'Momento singular'

Ânderson, Rafaela e o padre Paulo, avô do noivo  - Reprodução/Fernando Lacerda
Ânderson, Rafaela e o padre Paulo, avô do noivo Imagem: Reprodução/Fernando Lacerda

Pietra Carvalho

Do UOL, em São Paulo

26/05/2022 04h00Atualizada em 26/05/2022 09h03

O padre Paulo Müller, 85, celebrou uma cerimônia inusitada este mês, ao realizar o casamento do próprio neto, Ânderson Martins Müller, 31, em uma igreja de Porto Alegre.

O engenheiro químico conta que ele e a mulher, Rafaela Pilla Muccillo, 30, já sabiam que queriam o seu avô como o responsável pelo enlace desde que decidiram se casar, em 2019. Mas a ideia quase foi interrompida pelas regras da Igreja Católica, já que o casal não queria fazer a celebração em um espaço religioso, mas sim no local onde fariam a festa.

Em um primeiro momento, eles aceitaram o impedimento imposto pela Igreja e seguiram com os planos de uma cerimônia ecumênica, mas foram surpreendidos pelos inúmeros adiamentos da data do casamento, causados pela pandemia.

"A primeira data que tínhamos escolhido para celebrar era outubro de 2020, e tivemos que postergar. Até que no começo desse ano, marcamos a nova data para 14 de maio, e aí definimos que faríamos uma cerimônia na igreja também, para podermos contemplar a participação do vô nesse momento singular. Ele foi a primeira pessoa para quem entregamos o convite com a nova data, e já informamos que iríamos fazer a celebração na igreja, e que gostaríamos que ele fosse o responsável por esse momento", contou Ânderson ao UOL.

O noivo detalha que o avô sempre teve vocação religiosa e, ao longo da juventude, se engajava nas atividades da igreja. Mas seus planos mudaram após ele conhecer a mulher, Lizzete, com quem foi casado por 29 anos e teve quatro filhos. Após a morte dela, nos anos 1990, Paulo, que já era diácono, decidiu continuar os estudos religiosos para se tornar padre.

noivos poa - Reprodução/Fernando Lacerda - Reprodução/Fernando Lacerda
Ânderson, Rafaela e o padre Paulo, avô do noivo em cerimônia realizada em 14 de maio
Imagem: Reprodução/Fernando Lacerda

Além da dedicação à formação católica, ele também precisou de uma autorização especial do Vaticano para assumir a função, já que tinha sido casado.

"Por ser um pedido relativamente inusitado, esse tipo de solicitação deve ser levado ao Papa — ao menos foi o que aconteceu na época, não sei especificar se hoje ainda ocorre dessa forma. O bispo, na ocasião, levou a demanda e o papa autorizou a ordenação dele como padre", detalha Ânderson.

O noivo não poupou elogios ao texto que o avô preparou para sua cerimônia, contando que o religioso destacou a necessidade de fidelidade, companheirismo e amor em suas palavras para o neto e a esposa.

"Os presentes puderam presenciar os ensinamentos de quem já viveu a vida de casal e que hoje pode orientar novos casais quanto às responsabilidades envolvidas em um sacramento tão importante", afirmou o engenheiro.

Quando o assunto foi a grande festa após o enlace, Ânderson conta que Paulo chegou a passar pela comemoração, mas por pouco tempo, já que tinha um retiro religioso no dia seguinte.

"Para que ele pudesse participar, mesmo que brevemente, organizamos um jantar servido para ele logo na chegada, para agilizar a volta dele a Novo Hamburgo — cidade onde ele é pároco — e não conflitar com o descanso (merecido) dele. Mas enquanto ele esteve lá, foi um show à parte, todos queriam falar com ele para entender um pouco mais da história, foi muito legal".

Apesar da curiosidade daqueles que não conhecem a história do padre, o noivo conta que, para a família, o caminho que Paulo tomou já é "corriqueiro".

"Para mim e para os familiares mais próximos parece ser algo corriqueiro, afinal você se acostuma com o fato e acaba se tornando natural. Quem enxerga de fora às vezes não compreende e acaba falando sem conhecimento, como já vimos em outras oportunidades. Entretanto, as pessoas de nosso convívio e os convidados do casamento estavam com uma curiosidade saudável quanto ao assunto e meu avô sempre foi muito tranquilo em relação a isso, ele sempre se coloca à disposição para prestar esclarecimentos".

Cotidiano