PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Macaco é visto 'amolando' faca no Piauí: 'Dócil, mas danadinho'

Do UOL, em São Paulo

23/06/2022 15h19Atualizada em 23/06/2022 15h23

Um macaco foi flagrado raspando uma faca em uma parede, como se a estivesse amolando, na cidade de Corrente, no Piauí. Alessandro Guerra, jornalista e morador da cidade, contou ao UOL que não se sabe como o macaco chegou ali.

Guerra relatou que foi procurado pelas pessoas do centro comercial da cidade, pois um macaco estava atormentando a vida das pessoas havia uma semana. Apesar disso, ele é "domesticado", segundo o jornalista.

"Ele aparece com uma faca, mas deixa as pessoas tocarem nele, vai até as casas e muitos já o pegaram na mão. As coisas que ele tem feito são essa bagunça... Ele já destelhou casas e essa semana apareceu com essa faca".

macaco - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Moradores não sabem como macaco chegou à cidade de Corrente, no Piauí
Imagem: Arquivo pessoal

Os moradores estão divididos em relação ao bicho, pois quem sofre com ele quer que ele vá embora, mas há quem se divirta com ele.

"Quem está sofrendo dano da bagunça está preocupado, pois não pode deixar porta e janela aberta. O restante está achando engraçado, virou um meme".

Ele afirmou que a Polícia Ambiental já foi chamada, mas a unidade mais próxima fica em Teresina, a 650 quilômetros da pequena cidade de 26 mil habitantes. "Nossa cidade não tem batalhão da Polícia Ambiental. A solução que encontrei foi entrar em contato com um ambientalista para intermediar uma solução junto à Polícia Ambiental de Teresina. O que foi informado pelo comandante de lá é que teria que entrar em contato com o Ibama regional".

Sem Ibama regional, a alternativa foi procurar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente que, também não foi uma solução, pois eles não recolhem esse animal devido à falta de estrutura e pessoal para dar conta do macaco. "Todos os órgãos estão cientes da situação", disse Guerra.

O temperamento dele é o que preocupa, de acordo com o jornalista, tanto que ele cita justamente o exemplo da faca.

"Ao mesmo tempo em que ele é um animal dócil, ele é danadinho. Busquei o ambientalista, a Polícia Ambiental e os demais órgãos no sentido de recolher o animal, pela preocupação com as pessoas e pela preocupação com o próprio animal. Fiz isso para evitar algo mais grave porque ele oscila muito, já pensou se ele joga a faca em alguém? Ou entra numa casa, pega a faca e a pessoa não está esperando que isso aconteça?".

O UOL tentou contato com a secretaria municipal de Meio Ambiente da cidade e o Ibama, mas não obteve retorno até a publicação da matéria.

Embed com autoplay

Cotidiano