PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

RJ: Para reatar com ex, mãe e filhas sequestram bebê e levam para o Alemão

Bebê foi sequestrada no Rio por três mulheres - Divulgação/DDPA
Bebê foi sequestrada no Rio por três mulheres Imagem: Divulgação/DDPA

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

23/06/2022 13h36Atualizada em 23/06/2022 13h36

Uma bebê de cinco meses foi sequestrada na terça-feira (21), no bairro de Inhaúma, na zona norte do Rio de Janeiro, e levada para a localidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão, comunidade dominada pelo CV (Comando Vermelho).

De acordo com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), a criança foi raptada por três mulheres — duas irmãs e a mãe delas, identificada como Flavia Innocencio. O objetivo do crime era usar a criança para reatar o relacionamento da mãe com o ex-marido. Flavia é procurada pelas autoridades. Uma das filhas foi presa e a outra, apreendida, por ser menor.

A bebê foi devolvida na quarta-feira (22), após negociação da polícia.

A delegada Elen Souto, titular da DDPA, explicou ao UOL que depois do registro de ocorrência, as sequestradoras foram identificadas e com a ajuda de parentes, policiais conseguiram convencer o trio a devolver a criança e evitar a entrada da polícia na comunidade.

A menina foi entregue em uma praça do bairro de Santíssimo, na zona oeste.

O UOL busca se a filha que foi presa já tem defesa constituída e atualizará a reportagem caso haja manifestação.

O sequestro

A delegada Elen Souto disse que o primeiro contato com a mãe da criança, Carla Figueira de Assis, ocorreu há um mês na CRE (Coordenadoria Regional de Educação) do Engenho Novo, na zona norte. Elas teriam prometido doações à mãe da bebê.

"Essas duas mulheres abordaram a mãe da bebê, encantadas com a beleza da criança, que chama a atenção, e se aproximaram narrando que tinham donativos para entregar. A mãe demonstrou interesse tendo em vista a sua humildade, sua necessidade financeira e houve troca de telefones", afirmou a delegada.

Ainda de acordo com a delegada, o encontro foi marcado para esta terça-feira, data que a criança foi levada. As duas mulheres conseguiram convencer a mãe da menina a entrar em um carro de aplicativo para uma carona e durante o trajeto, ela foi colocada para fora do veículo.

"Na altura do bairro de Inhaúma, a Carla foi colocada para fora do veículo e o carro partiu com a criança. Ao longo do dia, conseguimos identificar as autoras e a mãe que arquitetou o plano. A motivação para esse crime seria que Flávia [mentora do sequestro] estava separada do seu companheiro e diria a ele que teria tido um filho dele. E por meio desse filho tentaria reatar esse relacionamento".

A mulher presa vai responder pelo crime de subtração de criança com a finalidade de colocá-la em lar substituto e a irmã dela, menor de idade, vai responder por fato análogo.

A DDPA já representou pela prisão da mãe da dupla, que até o momento não se apresentou à polícia. A bebê foi entregue à família na DDPA ontem com o acompanhamento do Conselho Tutelar.

"A investigação prossegue para saber se o eventual motorista de aplicativo teve participação nesse crime", concluiu a delegada.

Cotidiano