PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mortes violentas em capitais: Macapá lidera ranking, e São Paulo é a última

Considerando todas as capitais, taxa de mortes violentas caiu 7,9% - Getty Images/Vetta
Considerando todas as capitais, taxa de mortes violentas caiu 7,9% Imagem: Getty Images/Vetta

Do UOL, em São Paulo

28/06/2022 13h45Atualizada em 28/06/2022 14h07

A cidade de Macapá, capital do Amapá, foi a capital que registrou a maior taxa de mortes violentas no País em 2021, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgados hoje. De acordo com o levantamento, o município teve 63,2 mortes por 100 mil habitantes em todo o ano passado, o que representa uma alta 31% na comparação com 2020.

São Paulo foi a cidade que registrou a menor taxa: 7,7 mortes por 100 mil habitantes, uma queda de 19%.

As mortes violentas intencionais incluem crimes como homicídios dolosos, feminicídio, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte, estupro seguido de morte, infanticídio e maus tratos qualificados pelo resultado morte.

Salvador ficou em segundo lugar entre as capitais com maior taxa de mortes violentas, com ocorrência de 55,6 mortes por 100 mil habitantes. A capital baiana é seguida por Manaus (52,5), Teresina (37) e Boa Vista (34,8).

Das 27 capitais, 21 registraram queda na taxa de mortes violentas. As seis que tiveram alta foram: Manaus (48,9%), Macapá (31,2%), Boa Vista (9,9%), Teresina (9,5%), Porto Velho (8,6%) e Salvador (3,4%) —quatro dessas capitais estão na região Norte.

Veja o ranking de capitais por taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes:

  • Macapá: 63,2
  • Salvador: 55,6
  • Manaus: 52,5
  • Teresina: 37
  • Boa Vista: 34,8
  • Fortaleza: 34,3
  • Recife: 33,1
  • Porto Velho: 32,4
  • Maceió: 29,8
  • Aracaju: 29,4
  • João Pessoa: 28,1
  • Natal: 24
  • Rio Branco: 23,1
  • São Luís: 22,8
  • Palmas: 22,3
  • Belém: 22,3
  • Vitória: 21,1
  • Porto Alegre: 20
  • Rio de Janeiro: 19,2
  • Curitiba: 16,7
  • Goiânia: 16,6
  • Campo Grande: 15,3
  • Distrito Federal: 11,2
  • Florianópolis: 10,8
  • Belo Horizonte: 10,8
  • Cuiabá: 10,6
  • São Paulo: 7,7

Cotidiano