Topo

Conteúdo publicado há
8 meses

Ataque a tiros em escola de Cambé (PR) deixa aluna morta e outro ferido

Do UOL, em São Paulo

19/06/2023 10h27Atualizada em 19/06/2023 17h21

Uma aluna de 17 anos foi assassinada em um ataque a tiros dentro de uma escola hoje de manhã na cidade de Cambé (PR), ao lado de Londrina e a cerca de 400 km da capital Curitiba. Outro estudante de 16 anos foi baleado na cabeça e está internado em estado grave.

O que aconteceu

Um ex-aluno de 21 anos entrou no colégio estadual Professora Helena Kolody por volta das 9h30. Ele alegou que solicitaria o seu histórico escolar, segundo a polícia.

O jovem estava armado e começou a disparar dentro da escola, dando 12 tiros. O atirador foi contido por um funcionário da escola. Os alunos estavam no intervalo no momento dos tiros.

As vítimas do ataque namoravam há um ano. A polícia investiga a possibilidade de que o crime tenha sido passional, segundo o UOL apurou.

Após ser contido, o atirador foi preso em flagrante e levado para a delegacia. Com ele, os policiais apreenderam um machado guardado dentro de uma mochila, mas o instrumento não foi utilizado pelo agressor.

Câmeras de vigilância da instituição de ensino foram recolhidas pelos policiais que atenderam a ocorrência.

O aluno ferido foi levado para a Santa Casa de Cambé. Em seguida, foi transferido para o Hospital Universitário de Londrina.

Carlos Massa Ratinho Júnior, governador do Paraná, decretou luto oficial de três dias no estado e lamentou o episódio. Os secretários de Segurança Pública e de Educação do estado estão a caminho da cidade onde ocorreu o ataque.

Policiais em frente à escola estadual Professora Helena Kolody, em Cambé (PR), após ataque a tiros - Silvano Brito - Silvano Brito
Policiais em frente à escola estadual Professora Helena Kolody, em Cambé (PR), após ataque a tiros
Imagem: Silvano Brito

Carro dos Bombeiros em frente à escola estadual Professora Helena Kolody, em Cambé (PR), após ataque a tiros - Silvano Brito - Silvano Brito
Carro dos Bombeiros em frente à escola estadual Professora Helena Kolody, em Cambé (PR), após ataque a tiros
Imagem: Silvano Brito

O que dizem as testemunhas

Alunos da escola atacada relatam como foi a ação. Um estudante disse à rádio Cobra News que quebrou uma janela para fugir de uma sala, ferindo o joelho e as mãos. "Foi tudo muito rápido. Ouvi o som dos disparos e fugi. A minha reação foi só sair", disse.

Um outro aluno disse que o atirador teria tentado recarregar a arma após os disparos. "Vimos as funcionárias e os alunos correndo [depois dos tiros]. Um amigo disse que ele [o atirador estava tentando recarregar a arma", relatou à rádio Cobra News.

Ataques a escolas no país

Foram registrados ao menos cinco ataques em escolas do país neste ano. O primeiro desses ataques ocorreu na manhã de 27 de março, quando um aluno matou uma professora e feriu outras cinco pessoas com facadas em uma escola de São Paulo.

Apenas uma semana após o ataque em SP, um homem de 25 anos matou cinco crianças e feriu outras cinco em uma creche em Blumenau (SC) com uma machadinha. Após cometer o crime, o agressor se apresentou à PM e foi preso.

Os outros três ataques ocorreram em Manaus (AM), Farias Brito (CE), Santa Tereza de Goiás (GO) em um intervalo de apenas três dias no mês de abril.