Conteúdo publicado há 10 meses

Alckmin e ministros visitam áreas afetadas por ciclone no Rio Grande do Sul

O presidente em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), anunciou o repasse de R$ 741 milhões às regiões atingidas pela passagem de um ciclone no Rio Grande do Sul. Ele e oito ministros desembarcaram neste domingo (10) em Lajeado (RS) para visitar as áreas afetadas pelo ciclone que deixou ao menos 43 mortos no estado. Eles são acompanhados pelo governador do estado, Eduardo Leite (PSDB).

Entenda as medidas

Entre as medidas anunciadas estão:

R$ 195 milhões do Ministério das Cidades para reconstrução de moradias.

R$ 185 milhões do Ministério da Integração para ajudar na reconstrução dos municípios com foco na "questão urbana", como pavimentação de ruas, recuperação de estradas e limpeza.

R$ 125 milhões do Ministério do Desenvolvimento Social e do Ministério do Desenvolvimento Agrário para programas sociais, entre os quais a autorização para o PAA (Plano de Aquisição de Alimentos) comprar produtos e distribuir na região; adiantamento do BPC (Benefício de Prestação Continuada) em um salário mínimo, que poderá ser pago em até 36 vezes sem juros e correções; e o saque do FGTS até o limite de R$ 6.220,00.

R$ 80 milhões do Ministério da Saúde, para reconstrução de hospitais e UBS (Unidades Básicas de Saúde), além de gastos com farmácia e hospitais de campanha.

R$ 16 milhões do Ministério dos Transportes para obras viárias, especialmente a reconstrução da ponte da BR 116 que passava sobre o Rio das Antas.

R$ 26 milhões em créditos para o Ministério da Defesa, para operações militares e de resgate.

R$ 7 milhões que a Receita Federal colocará à disposição dos municípios da região.

Continua após a publicidade

A Receita também concordou em atrasar a cobrança dos tributos federais com vencimento em setembro e outubro para dezembro e janeiro, respectivamente.

O Simples também terá cobrança atrasada: os pagamentos com vencimento em 20 de setembro será adiado para 20 de janeiro; o de 20 de outubro, para 20 de fevereiro; e o de 20 de novembro, para 20 de março.

Além dos repasses diretos, o pagamento do Bolsa Família para os moradores da região será antecipado para dia 18 e o pagamento do BPC, para o dia 25.

O que aconteceu:

Alckmin e a comitiva foram às cidades de Roca Sales e Muçum, as mais atingidas pela passagem do ciclone. Eles estiveram num hospital de campanha montado para atender as vítimas das enchentes.

O vice está no exercício da presidência da República porque Lula está fora do país. O petista participou da Cúpula do G20, na Índia.

Continua após a publicidade

A comitiva que acompanha Alckmin é formada por oito ministros. São eles: José Múcio (Defesa); Nísia Trindade (Saúde); Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional); Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar); Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação); Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima); Jader Filho (Cidades); e Wellington Dias (Desenvolvimento Social).

O governador Eduardo Leite disse que não vai faltar dinheiro para as ações. "O governo federal está aportando mais de R$ 740 milhões no auxílio aos municípios", afirmou.

Auxílio de R$ 800 começa a ser pago amanhã a prefeituras

O benefício será dividido em duas parcelas de R$ 400. Os municípios que receberão o valor na segunda-feira serão aqueles que se cadastraram ontem (8) para a transferência de recursos, informou Wellington Dias.

O ministro Jader Filho vai anunciar medidas de apoio para atender o estado com 1.500 casas. "Vamos abrir uma seleção para calamidades, para atender o Rio Grande do Sul com 1.500 unidades. Faremos parcerias com o governo do estado e as prefeituras atingidas. Será um investimento do Ministério das Cidades no valor de R$ 225 milhões", disse.

Continua após a publicidade

Governo federal estuda medidas de reconstrução das cidades considerando mudanças climáticas, diz Alckmin. "Caiu ponte, tem estrada interrompida, conexão, a própria BR 101 está com ponte interditada. E nos prepararmos para as questões das mudanças climáticas", declarou em entrevista ontem (9) ao Brasil Urgente, da Band.

46 pessoas estão desaparecidas

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul divulgou hoje que 43 pessoas do estado morreram em consequência da passagem de um ciclone pelo estado. Com isso, o total de vítimas na região Sul passa para 44, com uma morte confirmada em Santa Catarina.

A última vítima confirmada é de Cruzeiro do Sul, informou a Defesa Civil.

Ainda há 46 desaparecidos, a maioria (30) da cidade de Muçum. Lajeado e Arroio do Meio registram 8 desaparecidos cada.

Outras 224 pessoas ficaram feridas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes