Conteúdo publicado há 5 meses

Após 55 horas de apagão em SP, 700 mil pessoas seguem sem luz, diz Enel

Após 55 horas do apagão que atingiu o estado de São Paulo a partir das 16h da última sexta-feira (3), ao menos 700 mil pessoas seguem sem energia, segundo o balanço mais recente divulgado pela concessionária de distribuição de energia Enel.

O que aconteceu

Segundo a empresa, 2,1 milhões de pessoas chegaram a ser afetadas pela falta de luz causada pelo temporal que atingiu o estado. Desse total, 1,4 milhão teve a distribuição normalizada.

Luz deve voltar para todo mundo só terça-feira (7). Essa é a previsão divulgada pela empresa para a normalização total do serviço. "Devido à complexidade do reparo e a necessidade de reconstrução de trechos da rede, com substituição de cabos, postes e transformadores, alguns casos podem levar mais tempo", diz a Enel.

O diretor da empresa André Oswaldo de Souza disse que há preparação para momentos de chuva forte, mas "não para algo dessa natureza que nunca aconteceu". Segundo ele, foi triplicado o número de funcionários nas ruas, de 600 em dias normais para 1.800.

Sete pessoas morreram no estado em decorrência das chuvas. As mortes causadas pelo temporal foram registradas em São Paulo, Osasco, Santo André, Suzano, Limeira e Ilhabela. Na capital, duas vítimas estavam em um carro atingido por uma árvore que caiu. As outras quatro cidades tiveram uma morte cada, segundo a Defesa Civil. A sétima morte confirmada hoje foi a de Ilhabela, onde uma pessoa morreu após uma embarcação naufragar.

Temporal derrubou árvores e teve ventos de mais de 100 km/h. As rajadas de vento superiores a 100 km/h durante o temporal de sexta-feira (3) foram as maiores já registradas pelo CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) da Prefeitura de São Paulo desde 1995, quando os dados começaram a ser computados.

Enel diz que escolas de SP têm energia para o Enem

A maioria das instituições está conectada à rede direta, mas há algumas as escolas que estão com geradores, afirma a Enel. Ainda assim, a empresa diz que o fornecimento de energia está garantido.

Os equipamentos cedidos pela Enel e pela Prefeitura de São Paulo foram deslocados e instalados como reforço adicional em alguns locais para garantir a realização dos exames. Enel em nota divulgada à imprensa

Continua após a publicidade

Ontem, a empresa havia informado que 84 escolas estavam sem luz — no início da noite, o número havia caído para 47. Mais de 3,9 milhões de pessoas estão inscritas para fazer o Enem hoje.

Sabesp diz que 7 cidades ainda têm falta de água

A Sabesp afirma que a capital e mais seis cidades seguem com abastecimento afetado. Os bairros da capital ainda sem água são Itaquera, São Mateus, Vila Mariana, Vila Clara e Capão Redondo. As outras cidades são Cotia, Osasco, Barueri, Taboão da Serra, Biritiba Mirim e Suzano.

Os locais que tiveram a energia reestabelecida e estão com reservatórios de água em recuperação são Santo André, Mauá, Diadema, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Itaquaquecetuba, Guaianases, Americanópolis, Vila Clara, Vila Mascote, Vila Santa Catarina, Vila Joaniza, Campo Grande, Jardim Promissão, Pedreira, Cidade Ademar, Chacara Flora, Santa Etelvina, Cidade Tiradentes e Morumbi.

Tarcísio lamentou mortes em SP

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) lamentou, por meio das redes sociais, a morte das seis pessoas vítimas das quedas de árvores e muros. "Todo o Estado de São Paulo sofreu com um evento climático extremo, marcado por chuva de grande intensidade e fortes rajadas de vento, sendo a região metropolitana de Campinas a mais atingida", escreveu.

Continua após a publicidade

Tarcísio disse também que as equipes da Defesa Civil de São Paulo e do Corpo de Bombeiros prestam apoio aos municípios mais afetados " para restabelecimento de energia e liberação de vias comprometidas pelas quedas de árvores." Segundo ele, equipes da Sabesp "trabalham para restabelecer também o fornecimento de água, que foi impactado pelas quedas de energia."

Deixe seu comentário

Só para assinantes