Conteúdo publicado há 3 meses

Governador orienta moradores de região gaúcha a procurarem locais seguros

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), orientou neste sábado (18) que moradores do Vale do Taquari procurem locais seguros, devido a risco de aumento abrupto no nível do rio que atravessa a região.

O que aconteceu

Eduardo Leite fez pronunciamento público para informar que há risco de aumento no nível do Rio Taquari, o mesmo que causou enchentes que deixaram mais de 50 mortos em setembro.

O governador disse que o "risco é real" e orientou moradores da região atravessada pelo rio, o Vale do Taquari, que deixem suas casas e procurem locais seguros.

Podemos, ao longo do Rio Taquari, vivenciar um episódio semelhante ao que tivemos em setembro. Provavelmente não com as enxurradas, com a velocidade dos rios, mas sim com a elevação rápida do nível do Rio Taquari, atingindo localidades que foram atingidas também naquele episódio de setembro ao longo das próximas horas.

Precisamos que as pessoas que vivem nessas comunidades de risco, nessas localidades que foram atingidas em setembro, deixem as suas casas e possam estar em locais seguros.
Eduardo Leite, em vídeo publicado nas redes socias

Barragem atinge nível de atenção; sirene é acionada

Barragem da Usina Hidrelétrica (UHE) Castro Alves, no Rio Grande do Sul
Barragem da Usina Hidrelétrica (UHE) Castro Alves, no Rio Grande do Sul Imagem: Divulgação
Continua após a publicidade

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul emitiu um alerta para remoção de pessoas das cidades de Nova Roma e Nova Pádua após a elevação dos níveis da barragem Usina Hidrelétrica Castro Alves, colocando-a em estado de atenção.

Ainda que não haja indicação de rompimento da barragem, a evacuação das pessoas é uma ação preventiva. A Defesa Civil das cidades também atua para remover quem eventualmente não foi avisado.

As sirenes na usina foram acionadas por 30 minutos a pedido da Defesa Civil, de acordo com a Ceran (Companhia Energética Rio das Antas), que administra a usina, com o objetivo de informar a população "sobre a alta vazão do Rio da Antas". A companhia diz que "as barragens seguem em condição segura".

Mais de 30 cidades da Serra Gaúcha e da região metropolitana de Porto Alegre ficaram alagadas pelas fortes chuvas. Como consequência, centenas de famílias foram evacuadas de suas casas, e o acesso a cidades foi interrompido por deslizamentos ou por terem sido tomadas pela água.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes