Conteúdo publicado há 2 meses

Assassino de galerista no RJ fez vídeo testando disparo com besta, diz TV

O assassino do galerista americano Brent Sikkema, morto no dia 15 de janeiro, gravou um vídeo fazendo testes com uma besta antes do assassinato. A informação é do Fantástico, da TV Globo, que teve acesso às imagens.

O que aconteceu

Vídeo mostra Alejandro Triana Prevez fazendo simulação de preparo e disparo com a arma. As imagens foram feitas por ele mesmo, em um ambiente em que ele aparenta estar sozinho. O Fantástico não disse quanto tempo antes do assassinato de Brent o vídeo foi feito.

Assassino preparou arma e fez teste com flecha real. No início do vídeo, Alejandro aparece de pé, usando um equipamento para esticar a corda que dispara a flecha. Na sequência, ele se senta, pega uma flecha e a posiciona no local do disparo. Então, ele se levanta, arruma a posição da câmera que faz a gravação, se afasta, senta em um lugar mais distante e atira. No momento do disparo, Alejandro está de lado para a câmera e não é possível ver onde ele atirou.

Morte a facadas. Apesar de ter testado a besta, Alejandro matou Brent Sikkema com 18 facadas.

Justiça mandou prender assassino e ex-marido de galerista. A juíza Tula Correa de Mello, da 3.ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, decretou as prisões preventivas de Daniel Sikkema, ex-marido Brent Sikkema, e Alejandro ontem (10). Alejandro está preso desde 18 de janeiro, quando foi encontrado em Minas Gerais. Daniel, por sua vez, é acusado de ser o "autor intelectual e principal interessado no crime" e está no exterior.

Investigações apontam que Daniel teria contratado Alejandro com a promessa de pagar US$ 200 mil pelo crime. "O Daniel, ele é o grande mentor intelectual desse crime. A polícia não tem dúvidas de que o crime, ele foi planejado e totalmente elaborado com os mínimos detalhes pelo Daniel", disse o delegado Rômulo Assis, que investiga o caso.

Alejandro assumiu autoria do crime sob orientação da defesa dele. Inicialmente, ele era suspeito de latrocínio (roubo seguido de morte), mas confessou que matou Brent duas semanas depois do crime, após ser orientado por seus advogados.

Brent foi encontrado morto na casa dele, no Jardim Botânico, em 15 de janeiro. A ocorrência foi registrada às 23h05. Quando os bombeiros chegaram ao local, o galerista já estava sem vida. O americano estava com ferimentos de arma branca e, após a análise do corpo, foi constatado que ele foi golpeado com uma faca.

Deixe seu comentário

Só para assinantes