Conteúdo publicado há 3 meses

Lewandowski afasta direção de presídio no RN e anuncia interventor

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandoski, anunciou o afastamento da direção da Penitenciária Federal em Mossoró (RN) após a fuga de dois detentos. Ele também nomeou um interventor para o presídio.

O que aconteceu

O interventor será Carlos Luis Vieira Pires. O nome dele foi publicado no Diário Oficial da União. Ele vai exercer interinamente o cargo de Diretor da Penitenciária Federal em Mossoró (RN).

A pasta informou que o policial penal federal que assumirá o presídio já está na cidade. Ele embarcou para o local, na tarde desta quarta-feira (14), com o Secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia.

Governo determinou que seja feita uma "imediata e abrangente revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais" e mobilizou a PRF (Polícia Rodoviária Federal) para monitorar as rodovias e dar suporte à recaptura dos presos.

Justiça enviou equipe liderada pelo secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, para Mossoró, a fim apurar o ocorrido e determinar as medidas a serem tomadas no âmbito administrativo. A pasta também acionou a Direção-Geral da Polícia Federal para investigar a fuga dos criminosos e apurar eventuais responsabilidades, além de auxiliar na recaptura dos fugitivos — no total, a ação de buscas já conta com mais de 100 agentes federais.

Foi determinado ainda que a PF coloque os nomes dos fugitivos no Sistema de Difusão Laranja da Interpol e a inclusão no Sistema de Proteção de Fronteiras, para que agentes da polícia internacional auxiliem em caso de tentativa de fuga para o exterior.

A pasta também ordenou a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco) para colaborarem com os esforços de localização e prisão dos foragidos. O grupo congrega as polícias federais e estaduais nas ações de repressão da criminalidade organizada.

Relembre o caso

Fuga foi constatada na manhã desta quarta-feira (14) por agentes federais. A ocorrência foi confirmada pelo governo do Rio Grande do Norte. Os detentos fugiram após pular um alambrado na unidade prisional, segundo agentes que analisaram imagens do local.

Continua após a publicidade

Presos estiveram em rebelião em presídio em 2023 e pertencem ao Comando Vermelho. Deibson Cabral Nascimento, 33, e Rogério da Silva Mendonça, 35, que integram a principal facção criminosa do Rio de Janeiro, foram transferidos para a unidade federal após terem participado de uma rebelião no presídio Antônio Amaro Alves, no Acre, em julho do ano passado, segundo fontes ouvidas pelo UOL.

Fugitivos são "matadores do CV". Fontes ouvidas pela reportagem indicam que os fugitivos não integram o alto escalão da facção e que são conhecidos por serem encarregados por assassinatos de pessoas no "tribunal do crime" do Comando Vermelho do Acre. O UOL não localizou os advogados deles.

Deibson cumpria pena de 33 anos por assalto a mão armada. Conhecido como Tatu, ele também responde a processos por tráfico de drogas.

Rogério tem suástica tatuada na mão e condenação de cinco anos por tráfico. O interno conhecido como Martelo também responde a processos por homicídio qualificado, roubo e violência doméstica.

Agentes fazem buscas para localizá-los. Policiais federais deram início a uma operação para localizar o paradeiro dos fugitivos. A Polícia Militar do RN disse ter sido acionada às 8h de hoje para participar das buscas.

Mais policiamento nas estradas nas divisas com outros dois estados e uso de aeronaves. A Secretaria de Segurança Pública do RN intensificou as ações nas estradas na divisa com Paraíba e Ceará e também faz voos para auxiliar nas buscas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes