Conteúdo publicado há 3 meses

Médica negra denuncia racismo após paciente branco exigir CRM em consulta

Uma médica negra de Aracaju (SE) denunciou ter sido vítima de racismo após um paciente branco exigir que ela mostrasse seu registro profissional antes de ser atendido, no último domingo (16).

O que aconteceu

Valéria Cecília Carneiro de Almeida, de 64 anos, contou que o paciente queria 'confirmar se ela realmente era médica'. A neurologista estava fazendo o atendimento virtual em uma plataforma de telemedicina.

O paciente, do Mato Grosso do Sul, ao entrar na sala de consulta achou que algo estava errado com seu atendimento. Ele teria entrado na sala, saído e retornado após alguns minutos, dizendo que tinha marcado uma consulta com um neurologista.

Valéria informou ao paciente que ela era a médica que o atenderia. O homem teria insistido para que ela mostrasse seu registro profissional e disse que era 'para saber com quem estava falando'.

A neurologista, de 38 anos de carreira, se negou a continuar o atendimento. ''Você entra em um site médico e quer um certificado de doutora?'', questiona a Valéria em um momento da gravação. ''Isso é uma falta de respeito com o profissional que está atendendo, não estou aqui de brincadeira.''

Um Boletim de Ocorrência foi registrado por Valéria na Polícia Civil de Sergipe. O UOL também tenta contato com o CRM (Conselho Regional Médico) de Sergipe. A matéria será atualizada quando houver retorno.

Deixe seu comentário

Só para assinantes