Conteúdo publicado há 1 mês

Suspeitos de envolvimento no assassinato de fisiculturista são presos em SP

Dois homens suspeitos de envolvimento no assassinato de um fisiculturista foram presos na madrugada desta quinta-feira (11) na zona leste de São Paulo.

O que aconteceu

Dupla estava com mandado de prisão temporária, expedidos pelo judiciário, em aberto. Os homens, ambos de 27 anos, foram detidos por policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) na zona leste.

Mandados de busca e apreensão também foram cumpridos. Os agentes encontraram celulares, livros com contabilidade e máquinas de cartão. Os suspeitos — que não tiveram os nomes divulgados — e os objetos foram levados à delegacia e o caso foi registrado como cumprimento de mandados de prisão temporária e de busca e apreensão.

Polícia não informou o envolvimento de cada um dos suspeitos no crime. A motivação para o assassinato também não foi divulgada pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo).

Investigações do caso ainda seguem em andamento. As apurações são realizadas pela 2ª Delegacia da Divisão de Homicídios do DHPP.

Como o nome dos suspeitos não foram divulgados, a reportagem não conseguiu encontrar as defesas deles para pedido de posicionamento. O espaço segue aberto para manifestação.

Relembre o caso

Economista e fisiculturista foi morto a tiros no dia 9 de março no bairro da Vila Matilde, na zona leste da capital. A vítima foi identificada como Denis Yoshio, de 32 anos. O homem era economista e fisiculturista e compartilhava sua rotina de vida fitness nas redes sociais com os seus mais de 50 mil seguidores.

Testemunha disse que o economista foi baleado por dois homens. Os criminosos usaram uma motocicleta para praticar o crime e fugiram após os disparos.

Continua após a publicidade

Economista foi socorrido e levado ao Hospital Municipal do Tatuapé, mas não resistiu e morreu. Não foi informado pela SSP-SP se o rapaz chegou ao local com vida. Policiais militares chegaram a ser acionados para o local do crime, mas a vítima foi levada ao hospital por pessoas que estavam no local antes mesmo da chegada dos agentes.

"Descanse nos braços do senhor", diz mãe. Nas redes sociais após o crime, a genitora de Denis disse que Deus "recolheu o filho", acrescentando que o rapaz era um "príncipe". "Vou sempre lembrar de você assim com esse sorriso irônico e debochado. Te amo até o infinito", finalizou.

(Com Estadão Conteúdo)

Deixe seu comentário

Só para assinantes