MP acusa vereador do RJ de intolerância religiosa e pede remoção de vídeo

Um vereador de Maricá (RJ) está sendo acusado pelo Ministério Público de ter divulgado vídeo que promove ódio e medo às religiões de matrizes africanas.

O que aconteceu

Ricardo Magalhães Garcia Gutierrez (Partido Republicanos) publicou o vídeo no dia 17 de janeiro. O Ministério Público pede que o conteúdo seja retirado com urgência das redes sociais e que o parlamentar, conhecido como ''Ricardinho Netuno'', se retrate publicamente.

Ele disse que a prefeitura da cidade estava ensinando ''macumba'' às crianças nas escolas. ''Quando o seu filho for possuído, você saberá de quem é a culpa'', fala. O parlamentar também chama bonecas africanas de ''vudus''.

A publicação também mostra a imagem de um homem negro, com os olhos arregalados e boca aberta. No vídeo, começa a escorrer sangue do homem e em seguida aparece o símbolo do PT (Partido dos Trabalhadores), com velas acesas e fagulhas.

Ricardo teria se recusado a retirar a gravação e a firmar compromisso de ajustamento de conduta. O Ministério solicita que, caso não haja a remoção, o parlamentar seja multado em R$ 200 mil.

O UOL entrou em contato com o vereador. O espaço segue aberto para manifestação.

Esse tipo de mídia explora o racismo estrutural e aumenta a sensação de insegurança e medo diante daquilo que não se conhece e, por consequência, estimula a segregação e justifica a prática de violências físicas e psicológicas. Marcela do Amaral, promotora de Justiça

Deixe seu comentário

Só para assinantes