Conteúdo publicado há 27 dias

Chuvas: aulas nas redes pública e privada são suspensas em Porto Alegre

A Prefeitura de Porto Alegre determinou a suspensão das aulas nas redes pública e privada amanhã (27) e na terça-feira (28). Previsão é de que as atividades sejam retomadas na quarta-feira (29).

O que aconteceu

A determinação vale para escolas da rede municipal e para todas as unidades privadas. De acordo com a gestão municipal, a decisão levou em conta o alerta preventivo emitido pela Defesa Civil Municipal diante da possibilidade de chuvas intensas e ventos entre 60 km/h e 100 km/h.

Governo do estado também anunciou a suspensão das aulas na rede estadual em Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande. Em comunicado, a administração estadual informou que atividades estão suspensas na segunda e terça-feira. Os serviços meteorológicos ainda preveem novas chuvas no estado, com possível queda de granizo, geadas e ventos fortes.

Segundo a Prefeitura de Porto Alegre, 14 escolas municipais e 27 da rede conveniada foram total ou parcialmente alagadas. A prefeitura informou que esses locais registraram grande perda de infraestrutura durante a enchente. As escolas municipais de ensino fundamental Grande Oriente do RS (Rubem Berta) e Aramy Silva (Cristal) permanecem atuando como abrigo temporário.

O Rio Grande do Sul contabiliza 169 mortes provocadas pelas fortes chuvas e as enchentes que atingem o estado desde o fim de abril. Novo balanço divulgado pela Defesa Civil na manhã de hoje (26) registra ainda 56 desaparecidos e 806 pessoas feridas.

Mais de 2,3 milhões de pessoas foram afetadas de alguma maneira, enquanto 581 mil foram desalojadas de suas casas. Ainda permanecem em abrigos temporários 55.813 pessoas.

Apesar das chuvas fortes terem dado uma trégua neste fim de semana, o lago Guaíba segue com nível acima dos 4 m. A cota de inundação é de 3 m. O mesmo ocorre com a Lagoa dos Patos, que se encontra com nível acima dos 2 m, sendo que a cota de inundação é de 1,3 m.

Em todo o estado, ainda há mais de 113 mil pontos sem energia elétrica. Das 2.340 escolas gaúchas, 588 seguem sem o retorno das aulas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes