Conteúdo publicado há 17 dias

Médico capixaba infarta durante ajuda às vítimas da enchente no RS

Um médico anestesista capixaba de 50 anos infartou durante ajuda às vítimas da enchente em Pelotas (RS). A notícia foi confirmada pela esposa da vítima, que é dentista e chegou ao estado atingido pelas fortes chuvas na última quinta-feira (23).

O que aconteceu

Walter José Robert Borges chegou ao RS há duas semanas. Ele se deslocou de Vila Velha (ES) com um grupo de médicos para ajudar nos atendimentos iniciais e em pequenas cirurgias em abrigos e hospitais da região.

Na última segunda-feira (20), Walter deixou o centro cirúrgico e não voltou mais. No final do dia, o cunhado dele, que também é médico, e outros especialistas, procuraram a vítima e a encontraram desacordada dentro de um local que funciona como sala de recuperação. Ele foi levado desacordado e em estado grave para uma unidade de saúde.

"Os médicos disseram que ele teve um infarto, mas o quadro dele agora é de parada cardíaca longa recuperada com encefalopatia anóxica. Ao que tudo indica ele está em estado vegetativo, mas ainda faltam exames complementares para definir de fato o diagnóstico dele", contou a esposa de Walter, Daianny Coimbra Ulhoa, ao UOL.

Transferência para o ES

A cada hora que passa, o quadro clínico do médico tende a piorar, segundo os médicos. A esposa da vítima e outros familiares tentam a transferência de Borges para Vitória (ES).

Transferência precisa da colaboração dos governos. "Ele encontra-se em estado crítico, em ventilação mecânica. Por estar em hospital com nível secundário, não se dispõe de exames complementares para definir diagnóstico exato. Precisamos transportá-lo para um hospital com condições de suporte neurológico, mas não temos condições de realizar o transporte particular. Precisamos de ajuda dos dois estados nesse momento", informou a esposa de Walter.

Em nota enviada ao UOL, a Sesa-ES (Secretaria Estadual de Saúde do Espírito Santo) informou que que realizou contato com o hospital em que o paciente está internado no RS e providenciou leito em UTI. O órgão ainda pontuou que está estudando a melhor forma para transferir o médico. "A modalidade de transferência está em avaliação pelas equipes técnicas", disse a secretaria em documento.

Pai de dois filhos e casado há nove anos

Borges é casado há nove anos com a dentista Daianny. A união foi oficializada em abril de 2015, no mesmo dia do aniversário do médico.

Continua após a publicidade

Cursou medicina a partir de 1994 na Faculdade de Medicina de Petrópolis no Rio de Janeiro. O médico se formou em 2000 e trabalhou como anestesista em hospitais do estado fluminense, Mato Grosso, São Paulo e também no Espírito Santo, onde mora atualmente.

O casal tem uma filha de 12 anos e um menino de 7 anos. "O nosso filho de sete anos tem o pai como o ídolo dele. Eu estou sem forças. Preciso achar um jeito de levar ele para casa. Estou muito angustiada aqui sozinha", afirmou Daianny ao UOL.

Há alguns dias, outro médico morreu durante trabalho voluntário no RS. No dia 13, Leandro Medice, cardiologista que morava no Espírito Santo, teve um mal súbito e faleceu. O abrigo em que Leandro atuou reunia cerca de 1.300 pessoas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes