Conteúdo publicado há 1 mês

Criadora de curso de peeling é investigada por prática ilegal da medicina

A farmacêutica Daniele Stuart, que ministra o curso de peeling feito pela influenciadora Natalia Becker, dona da clínica onde um paciente morreu, é investigada pela Polícia Civil do Paraná.

O que aconteceu

Farmacêutica é investigada por exercício ilegal da medicina. A PCPR informou que investiga se Daniele praticou peeling em pacientes e também se ela falsificou documentos para poder emitir certificados de cursos ministrados na internet.

Oitivas devem ser realizadas nos próximos dias. A PCPR confirmou nesta quarta-feira (12) que tomou conhecimento dos fatos e apura o caso.

Investigação foi aberta após pedido da Polícia Civil de São Paulo. Daniele vive em Curitiba, é dona da clínica Neo Stuart, com sede na capital paranaense, e teria vendido o curso para ao menos 1.100 estudantes matriculados. O curso ficou fora do ar após a repercussão do caso.

Defesa de farmacêutica afirmou que ela nunca teve contato com Natalia. Ao lado de Daniele, o advogado afirmou que o curso ministrado por ela é "online e exclusivamente conceitual" e que não tem caráter profissionalizante.

Conselho Federal de Farmácia diz que resoluções do órgão preveem que farmacêuticos podem realizar peelings químicos. Em resposta à reportagem, o órgão citou as resoluções Nº 616, de 25 de novembro de 2015, e a Nº 645, de 27 de julho de 2017. Eles acrescentaram que o procedimento pode ser feito desde que o profissional esteja devidamente habilitado junto ao seu respectivo conselho regional de farmácia, "dentro dos seus limites de competência profissional, com boas práticas e procedimentos que garantam a segurança do paciente".

A doutora Daniele é habilitada para atuar na área, ela é especialista na área, a questão é, é muito injusto, irresponsável, precipitado, tentar vincular a imagem da doutora Daniele com este caso, não há nexo causal algum entre o curso da doutora Daniele com a morte daquela vítima.
Jeffrey Chiquini, advogado de Daniele, em comunicado

Assim que tivermos acesso à documentação de São Paulo poderá haver novas diligências, mas o objetivo é exatamente apurar esse tipo de conduta aqui em Curitiba.
Delegada Aline Manzatto, PCPR

'Formação nenhuma', diz farmacêutica sobre Natália

A farmacêutica Daniele Stuart disse que a influenciadora não tinha "formação alguma" para realizar o procedimento. Um jovem de 27 anos morreu após se submeter ao tratamento estético com Natalia em São Paulo.

Continua após a publicidade

Farmacêutica argumenta que Natalia não cumpriu o protocolo de fenol ministrado por ela. Em um vídeo publicado na noite desta terça-feira (11), Daniele mostra um print veiculado na imprensa que mostra a vítima, Henrique Chagas, com a pele lesionada. A profissional acusa a influenciadora de "não seguir corretamente a aplicação" que seria demonstrada no curso.

Segundo Daniele, a influencer esfoliou a pele do jovem e causou lesões que aumentaram "ainda mais a absorção fenol". "Outra evidência de que a influenciadora não utiliza o meu protocolo é essa foto onde ela retira uma máscara plástica [do rosto de outra cliente] na qual eu desconheço essa formulação e ela fez em uma influencer", acrescentou. Na sequência, a farmacêutica declara que deve ser aplicado um "selante, em forma de creme e macio, para que seja fácil a remoção mecânica do mesmo" após a aplicação do peeling de fenol.

"Natalia não tinha senso, conhecimento e formação nenhuma para realização de tal procedimento", escreveu Daniele na postagem. A mulher ainda disse que "qualquer profissional habilitado na área da estética sabe que não se faz nada em pele que não esteja íntegra", ao citar as supostas lesões que a influenciadora teria provocado na pele de Henrique. "Deixo aqui a indignação dos meus mais de 3.000 alunos e toda a classe estética que se sentiu lesionada com tal irresponsabilidade", completou.

O que diz a defesa de Natalia?

Advogada de Natalia disse que Daniele e o defensor dela "promoveram alegações inverídicas e acusações precipitadas" sobre o caso. Na quarta-feira (12), a advogada Tatiane Fortes disse ao UOL que a data da impressão do certificado da cliente foi em 5 de junho de 2024, mas o curso foi finalizado em 2023.

Fortes alegou que as informações necessárias estão sendo apresentadas às autoridades competentes. Porém, a defensora da influenciadora reforçou que não procede que o curso de Daniele, como dito pela defesa dela, é "conceitual" e acusa que alguns vídeos do curso foram excluídos da plataforma, o que caracterizaria, de acordo com Fortes, "relevante omissão de informações" em tentativa de não responsabilização da farmacêutica sobre o curso ministrado.

Continua após a publicidade

Em restituição da verdade, no curso de Daniele Stuart foi ministrado e informado o tratamento propriamente dito, protocolos, métodos, os produtos a serem utilizados, onde adquiri-los, riscos e intercorrências, não sendo abordado ou sinalizado, em momento algum, risco à saúde ou à vida. Em complemento, se existia alguma vedação, houve relevante omissão de Daniela Stuart.
Tatiane Fortes, representante da influencer

Conselho Regional de Farmácia apura conduta de Daniele

CRF-PR (Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná) irá apurar a conduta de Daniele. Em nota à reportagem, o órgão disse que tem ciência das alegações de Natalia sobre se "qualificar" por meio do curso ministrado pela farmacêutica e abrirá um procedimento administrativo disciplinar contra a profissional.

Conselho regional também confirmou que Daniele é graduada em farmácia e que está com registro ativo no órgão. Eles também explicaram que os farmacêuticos não têm impedimento para, assim como outros profissionais da saúde, ofertar cursos livres. Porém, ressaltaram que esses cursos não são de habilitação profissional, mas, sim, de atualização e que isso deve ser respeitado, principalmente, na área da saúde. "Apenas podem atuar na área da saúde pessoas com formação específica para o respectivo exercício de cada uma de suas profissões", diz o CRF-PR.

É de extrema importância para a instituição e para a sociedade esclarecer os fatos e garantir a integridade e a ética no exercício da profissão farmacêutica. O CRF-PR reforça seu compromisso com a transparência, a ética e a regulamentação adequada da prática farmacêutica, sempre priorizando a segurança e o bem-estar da população
Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná ao UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes