Conteúdo publicado há 1 mês

'Você está morta': Mulher que pulou do 5º andar relata ameaças do namorado

Hilda Francine, 27, relatou ter recebido ameaças de morte enquanto era agredida pelo namorado em Salvador, no último domingo (9). Ela pulou do quinto andar de um prédio de luxo para escapar do empresário Igor Costa Campos, 39, que foi autuado por lesão corporal dolosa e está preso preventivamente.

O que aconteceu

Vítima contou ter sido humilhada pelo namorado durante as agressões. Em entrevista ao "Encontro", da TV Globo, Hilda disse que Igor ria da situação e a xingava o tempo todo. Essas informações também constam na transcrição do inquérito policial à qual o UOL teve acesso. "Eu falava: 'Me deixa ir embora, por favor. E ele: 'Você já está morta. Entenda que você já está morta'", lembrou.

Suspeito deu cabeçadas, socos, pontapés e 'voadora', segundo Hilda. A vítima também sofreu mordidas e puxões de cabelo e disse ter gritado por ajuda. "Tentei sair várias vezes do apartamento. (...) Tentava sair, ele me puxava pelo cabelo de volta. Me jogou várias vezes no chão, me deu chutes. Gritei muito pedindo ajuda, muito", contou ao "Encontro".

Grávida, vítima disse que já estava sangrando antes das agressões. Hilda afirmou ter pedido a Igor que a levasse ao hospital e ele se negou. As agressões começaram a partir deste momento, de acordo com a vítima. "Falei para ele que estava sangrando, que podia estar perdendo a criança", disse, sem divulgar detalhes sobre o estado de saúde atual do bebê.

Pular da janela do 5º andar foi a 'última saída', contou a mulher. "Eu não vi que era o quinto andar, se era alto, se era nada. Eu só queria me salvar."

Hilda ainda relatou que vivia em 'cárcere privado'. Segundo a vítima, Igor a impedia de falar com familiares e olhava todas as suas conversas no celular. "Eu nunca saía de casa sem ele. Ele mudou meu chip de Maceió para cá, tanto é que estou usando o DDD daqui [Salvador]", explicou.

Mangava [zombava] de mim o tempo todo, ria de mim. Me humilhando, me xingando, me chamando só de coisa ruim. Aí eu falava para ele: 'Me deixa ir embora, por favor'. 'Você não me quer mais, eu não quero mais você', 'acabou, já era, me deixa ir embora'. E ele: 'Você já está morta. Entenda que você já está morta'.
Hilda Francine, ao "Encontro"

Defesa nega agressões

Segundo advogado, informações do processo são 'bem controversas'. Ao UOL, o advogado Carlos Magnavita afirmou que Igor Costa Campos alega ser inocente.

Continua após a publicidade

Igor se 'defendeu' e tentou evitar que a mulher se jogasse da janela. "Ele diz que não a agrediu. Na verdade, ele ficou se defendendo e tentando contê-la para evitar que as agressões se agravassem e, no decorrer do desentendimento, ela se trancou no quarto e terminou se jogando. Ele tentou evitar a situação [da queda] de todas as maneiras, só que não conseguiu, infelizmente", completou o advogado.

Defesa também contesta a prisão preventiva do empresário. "Igor é uma pessoa de bem, nunca se envolveu em nenhum problema, tem um histórico exemplar, é uma pessoa que trabalha. Aconteceu essa situação isolada que se tratou de uma discussão entre duas pessoas, que culminou nessas informações de que um agrediu e o outro se defendeu. Não dá para saber de fato o que aconteceu", conclui.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes