PUBLICIDADE
Topo

Ibope: Manuela D'Ávila se sai melhor entre jovens, negros e com faculdade

Manuela D"Ávila, candidata à Prefeitura de Porto Alegre pelo PCdoB - Sérgio Lima/Folhapress
Manuela D'Ávila, candidata à Prefeitura de Porto Alegre pelo PCdoB Imagem: Sérgio Lima/Folhapress

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

07/10/2020 04h00

Candidata à Prefeitura de Porto Alegre, Manuela D'Ávila (PCdoB) tem apoio dos mais jovens, negros e pardos e da população mais instruída, segundo indica pesquisa Ibope divulgada na última segunda-feira (5) pela RBS, afiliada na TV Globo no Rio Grande do Sul.

Conforme o levantamento, a comunista lidera, com 24% das intenções de voto. Em seguida, aparecem José Fortunati (PTB), com 14%, Sebastião Melo (MDB), com 11%, e Nelson Marchezan Júnior (PSDB), com 9%. Todos estão tecnicamente empatados em segundo lugar por conta da margem de erro de três pontos percentuais.

O apoio dos mais jovens impulsiona a candidatura de Manuela. Entre os entrevistados com 16 a 24 anos, a comunista tem 40% das intenções de voto. Já o ex-prefeito José Fortunati (PTB) ficou com 18% e o atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), com 8%. Na faixa dos 25 a 34 anos, Manuela continua na frente, com 27%, enquanto Fortunati fica com 12% e tucano com 10%.

Entre os mais velhos, com mais de 55 anos, três candidatos aparecem empatados com 15% das intenções de voto: Manuela, Fortunati e o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB). Já Marchezan aparece com 11%.

A população declarada negra e parda garante 33% dos votos a Manuela. Com esse público, Fortunati obtém 15%, enquanto Melo aparece com 10%. Já entre os brancos, a situação é mais pulverizada. Na liderança, está Manuela (19%), mas com pouca diferença em relação a outros candidatos. Fortunati aparece com 14%, já Marchezan e Melo têm 11%, enquanto Juliana Brizola (PDT) está com 5%.

Manuela também sobressai entre os mais instruídos, que declararam ter ensino superior. Ao todo, 26% manifestaram a intenção de votar na comunista, enquanto 14% em Fortunati, 12% em Melo e 10% no atual prefeito. Entre aqueles que têm o ensino médio, Manuela aparece com 24%, e Fortunati e Melo estão empatados em 11%. Na outra ponta da balança, os entrevistados menos instruídos, com ensino fundamental, declaram 22% dos votos em Manuela, 18% em Fortunati e 11% em Marchezan.

No quesito renda familiar, Manuela está à frente nas quatro faixas salariais apresentadas —a diferença é pequena entre elas. A comunista se sai melhor entre a população que recebe mais de um e até dois salários mínimos. Com esse público, obtém 29% das intenções de votos. Já Fortunati não aparece muito longe (tem 16%), enquanto Marchezan e Melo estão empatados com 9%.

Entre a população mais abastada, com renda superior a cinco salários mínimos, a comunista está à frente (22%). Na sequência, três candidatos aparecem com diferença pequena entre eles: Fortunati (14%), Melo (13%) e Marchezan (12%). Na faixa intermediária, entre dois a cinco salários mínimos, a comunista tem 26% da intenção dos votos. Já Fortunati aparece com 14%, enquanto Marchezan e Melo estão empatados com 10%.

Manuela perde terreno entre os evangélicos. Entre eles, o ex-prefeito Fortunati tem 23% na intenção de votos, já a comunista aparece com 18%, seguida por Melo com 10%. Por outro lado, entre os católicos, a situação se inverte. Manuela tem 21%, Fortunati, 16%, Melo, 13%, e Marchezan, 11%.

Foram ouvidas 805 pessoas entre os dias 3 e 5 de outubro. O número de identificação da pesquisa na Justiça Eleitoral é RS-07152/2020. O nível de confiança é de 95%.