PUBLICIDADE
Topo

Debate em São Bernardo tem troca de acusações de corrupção entre PT e PSDB

Beatriz Montesanti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/11/2020 22h23

O debate em São Bernardo (SP) teve troca de acusações de corrupção entre o atual mandatário, Orlando Morando (PSDB), e o ex-prefeito Luiz Marinho (PT). O debate foi transmitido pelo UOL, em parceria com a TVT, a Rádio Brasil Atual e o Diário do Grande ABC.

"Você está por São Bernardo, Marinho?", questionou Morando a seu adversário. "Porque nos últimos quatro anos ficou pelo PT". Marinho foi ministro do governo Lula e, em 2018, lançou candidatura para o governo do estado de São Paulo, quando seu principal objetivo foi defender o legado petista.

O atual prefeito trouxe um documento para mostrar que contratou o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) para realizar auditoria da obra do piscinão do Paço, contrato assinado durante o governo de Marinho em São Bernardo com a OAS, para resolver os problemas de enchente na cidade. As obras começaram em 2013, mas foram paralisadas ainda durante a gestão do petista.

"Não ia continuar um contrato seu sem auditoria. O Lula, quando saiu da cadeia, deve ter ficado orgulhoso de passar em volta do piscinão do Paço e ver que a obra que estava paralisada foi finalizada."

"Vamos falar de Paulo Preto? Vamos falar de Aécio Neves?", atacou Marinho, se referindo a políticos do PSDB acusados de corrupção. "Você fala de corrupção, mas o único ato pelo qual fui acusado, fui inocentado pela Justiça. Você não pode dizer o mesmo."

"Eu uso pouco essas palavras, mas lave a boca para falar de corrupção", retrucou o tucano. "Você é amigo do [ex-ministro da Casa Civil] José Dirceu, do [ex-ministro Antonio] Palocci, do Lula, da quadrilha que acabou com o país."

Marinho chegou a levar páginas impressas e leu em voz alta notícias de jornais envolvendo Morando em escândalos, como o de desvios de dinheiro da merenda escolar.

"Não sou eu que acuso, é a imprensa, é o Gaeco [Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo], é a Polícia Federal. Você tem que se explicar para a Justiça. Dá para votar em um prefeito que pode ganhar e não levar porque foi afastado?", disse Marinho.

Houve ainda uma dobradinha entre o candidato do PSB, Dr. Leandro Altrão (PSB), e o petista. Eles evitaram se enfrentar e direcionaram as críticas ao prefeito tucano.

"O principal problema do município hoje é a atual gestão, que atolou a cidade em escândalos de corrupção. Tem o problema de merenda, pedido de prisão de secretário, funcionário fantasma. Qual empresa gostaria de estar numa cidade atolada com corrupção?", disse Altrão.

Marinho emendou falando sobre a saída da Ford do município. A fábrica foi vendida para a Construtora São José por R$ 550 milhões.

"Numa crise como a da Ford, agiram mais como agentes imobiliários. Quando eu presidia o sindicato, asseguramos a permanência da Ford. Faltou governança", afirmou Marinho.

O evento contou com a participação de Dr. Leandro Altrão (PSB), a chapa coletiva Lourdes (PSOL), Luiz Marinho (PT), Orlando Morando (PSDB), atual prefeito, e Rafael Demarchi (PSL).

Claudio Donizete (PSTU) não tem a representatividade na Câmara necessária para cumprir a regra determinada para debates na TV pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Não houve plateia presente e foram respeitadas as regras de distanciamento, com uso obrigatório de máscara e medição de temperatura na entrada.

Próximo debate de candidatos a cidades da Grande São Paulo acontece em Osasco, no dia 10 de novembro.