PUBLICIDADE
Topo

'Macaco, olha teu rabo': Mulher de prefeito é investigada por racismo no PA

Luciana Cavalcante

Colaboração para o UOL, em Belém (PA)

06/11/2020 17h01Atualizada em 08/11/2020 14h40

A polícia civil do Pará investiga denúncia de injúria racial cometida contra o candidato à prefeitura de Capanema, município da região nordeste do estado, Dr. Jair (PSC). Em um vídeo de um comício ocorrido ontem à noite na cidade, a mulher do candidato à reeleição, Chico Neto (MDB), Waldimary Freitas, aparece dizendo a frase: "Macaco, olha o teu rabo".

No vídeo, que viralizou e provocou indignação na cidade, Freitas refere-se ao Dr. Jair, após uma série de acusações e ofensas. "O desonesto que se diz honesto. Que aponte o dedo para um homem bom e trabalhador como Chico Neto. Macaco, olha o teu rabo. Chico Neto não tem esses rabos, Chico Neto é honesto", diz a mulher no vídeo.

Após a abertura da investigação, a campanha de Chico Neto afirmou que a expressão "macaco, olha o teu rabo" é um "dito popular muito utilizado pelas famílias brasileiras" e que o candidato Dr. Jair tenta usar o episódio para atacar "a honra" de Chico Neto. A campanha também diz que as críticas de Waldimary não eram dirigidas a Dr. Jair, mas ao seu irmão, o deputado estadual Jaques Neves (PSC).

O candidato Jair Neves contou que no momento do comício estava fazendo uma live de campanha em suas redes sociais e só soube do que aconteceu quando a programação acabou. "Sinceramente nunca tinha passado por isso e já atuei em relação a ela até como médico, atendi a filha dela", lamentou.

O médico disse ainda ter se sentido muito constrangido com esse tipo de ofensa em público e não entende o motivo, já que, segundo ele, sempre fez uma campanha limpa e focada em propostas para a cidade.

"Foi uma palavra que machucou bastante no sentido de tentar manchar a nossa (sic) imagem, mas tantas pessoas estão solidarizando e se sentem machucadas com esse tipo de conduta racista".

Neves conta ainda que outros integrantes de sua equipe já sofreram com comentários desse tipo, mas, como não havia provas, não foram denunciados.

A polícia civil de Capanema instaurou inquérito para apurar o caso. Os policiais foram até a casa da suspeita por duas vezes desde ontem e ela não estava.

"O advogado dela esteve na delegacia, tomou conhecimento da denúncia e se comprometeu a apresentá-la na semana que vem", contou o delegado Rubens Matoso. O vídeo com as ofensas também foi encaminhado para perícia.

Se as ofensas forem comprovadas, a suspeita pode responder pelo crime de injúria racial, cuja pena varia de um a três anos de prisão.

Para o candidato Jair Neves, o sentimento é de justiça. "Isso precisa ser combatido, deixar a política de lado, por que isso fere as pessoas, as famílias, o cidadão. Tem que ser aplicada a lei. Não desejo mal a ela, mas precisa pagar pela atitude que teve".

Outro lado

A Coligação Democracia e Trabalho, a que pertence o candidato à reeleição Chico Neto, emitiu nota de repúdio justificando que a citação é de um dito popular muito utilizado pelas famílias brasileiras e foi usada em legítima defesa.

A nota esclarece que a crítica não é direcionada a Jair, mas a seu irmão, o deputado Jaques Neves, que acusou o município de não aplicar os recursos públicos relacionados à Covid-19, em um vídeo divulgado na internet.

Ainda segundo a nota, o prefeito Chico Neto recebeu a nota 100% de regularidade do Tribunal de Contas por sua transparência nas ações preventivas.

A coligação informa que tomará as medidas necessárias para esclarecer os fatos.