PUBLICIDADE
Topo

Câmara do RJ: Tarcísio Motta é o líder de votos; conheça os 10 mais votados

Tarcísio Motta (PSOL), vereador mais votado à Câmara do Rio - Divulgação
Tarcísio Motta (PSOL), vereador mais votado à Câmara do Rio Imagem: Divulgação

Colaboração para UOL, no Rio

16/11/2020 03h30

Com 86.243 votos, Tarcísio Motta (PSOL) superou Carlos Bolsonaro (Republicanos) e sagrou-se como o vereador mais votado desta eleição à Câmara Municipal do Rio. Desta vez, Tarcísio inverteu o resultado de 2016, e foi Carlos (71 mil votos) quem ficou na segunda posição, com 35 mil votos a menos. Já o professor de História do Colégio Pedro 2º, que cumprirá seu segundo mandato, teve 4.230 votos a menos. Confira aqui todos os eleitos na Câmara do Rio.

Soldado licenciado da Polícia Militar e youtuber, Gabriel Monteiro (PSD) conquistou o terceiro lugar nas urnas, com 60.326 votos. Envolvido em polêmicas e com histórico de faltas na PM, ele ficou conhecido após reunir 2,58 milhões de inscritos no Youtube. Adentrou a política por meio do MBL, mas logo se tornou bolsonarista.

Veterano, o ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEM) segue para seu terceiro mandato. O pai de Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados), que já foi prefeito duas vezes, teve 55.031 votos. Conhecido por ter um trabalho voltado para o funcionalismo público, Cesar Maia tem neste segmento seu principal eleitorado.

De volta à Câmara Municipal depois de 23 anos, Chico Alencar engrossará a fileira do PSOL na Casa. O partido conquistou sete cadeiras. Já foi vereador por dois mandatos, além de deputado estadual no Rio e deputado federal duas vezes. Na Câmara Federal, teve entre suas principais bandeiras o combate à corrupção e a maior transparência no Executivo e no Legislativo.

Vice dirigente de futebol do Flamengo, Marcos Braz (PL) conquistou 40.938 votos. Ele ganhou popularidade após sucessivas conquistas à frente do clube. Em 2009, quando Braz já ocupava o cargo de dirigente, o time foi campeão do Brasileirão. No ano passado, o Flamengo venceu os campeonatos Brasileiro, Carioca e a Libertadores.

Os veteranos Rosa Fernandes (PSC) e Carlo Caiado (DEM) ocuparam o sétimo e oitavo lugar, respectivamente. Com ações voltadas à zona norte, Rosa dará início ao seu oitavo mandato no ano que vem. Já Caiado, diretamente envolvido na campanha do candidato à prefeitura Eduardo Paes (DEM), de quem é amigo, iniciará seu quinto mandato.

Novata na política, Tainá de Paula (PT) foi a nona mais votada na cidade. Ela foi a grande aposta do PT do Rio nestas eleições, com 24.881 votos.

Militante do movimento negro, Tainá é arquiteta, urbanista, especialista em patrimônio cultural pela Fundação Oswaldo Cruz e mestre em Urbanismo pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), com atuação voltada para áreas periféricas, sobretudo na zona oeste, onde vive.

Já o ex-senador Lindbergh Farias (PT) vive uma situação de indefinição quanto ao seu futuro: o cacique petista teve 24.909 votos, mas no momento é considerado fora da disputa pela Justiça Eleitoral. Ele teve o registro de candidatura indeferido por se enquadrar em um dos critérios da Lei da Ficha Limpa —foi condenado por improbidade administrativa em uma ação ligada à sua gestão na Prefeitura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Empresário da Pavuna, na zona norte carioca, Luciano Vieira também é novato no Palácio Pedro Ernesto. Ele contou com grande apoio do deputado estadual Márcio Canella (MDB), que pertence ao mesmo grupo político do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis. Ele alcançou a marca de 24.070 votos

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado pela home-page, o Flamengo em 2009 foi campeão do Brasileirão, e não da Libertadores. A informação foi corrigida.