PUBLICIDADE
Topo

Dr. Furlan vira, vence irmão de Alcolumbre e é eleito prefeito de Macapá

Dr. Furlan teve 55,67% dos votos válidos, enquanto Josiel, irmão de Davi Alcolumbre, conquistou 44,33% - Erich Macias Rodrigues/Estadão Conteúdo
Dr. Furlan teve 55,67% dos votos válidos, enquanto Josiel, irmão de Davi Alcolumbre, conquistou 44,33% Imagem: Erich Macias Rodrigues/Estadão Conteúdo

Guilherme Botacini

Colaboração para o UOL

20/12/2020 18h06Atualizada em 20/12/2020 19h38

Dr. Furlan (Cidadania), 47, venceu Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do senador Davi Alcolumbre (DEM), e é o novo prefeito de Macapá. Com 100% das urnas apuradas, Furlan teve 55,67% dos votos válidos (101.091), enquanto Josiel conquistou 44,33% (80.499).

Nas redes sociais, Furlan comemorou o resultado dizendo "o prefeitão tá on!".

Votos brancos e nulos somaram 2,01% (3.884) e 4,00% (7.736), respectivamente.

A capital amapaense foi a única do país que adiou as eleições municipais e teve o primeiro turno no último dia 6. O adiamento se deu devido ao apagão que atingiu quase todo o estado do Amapá no dia 3 de novembro.

Adversários de Josiel, inclusive Furlan, criticaram a decisão de postergar a disputa porque ela só teria ocorrido após a queda de Josiel em pesquisas de intenção de voto, perdendo a vantagem conquistada antes do blecaute.

Também houve reclamações porque apenas a capital teve eleição feita mais para a frente, apesar de o apagão ter atingido 14 dos 16 municípios do estado.

Dr. Furlan ganhou de virada, já que havia ficado em segundo lugar no primeiro turno, com 16,03% dos votos válidos, contra 29,47% de Josiel. Ele é médico cardiologista e deputado estadual pelo Cidadania, mas foi eleito pelo PTB, partido do qual saiu em fevereiro de 2019.

Davi Alcolumbre parabeniza vencedor

Assim como Furlan, Davi Alcolumbre também usou as redes sociais para se manifestar sobre o resultado da eleição. Ele parabenizou o candidato do Cidadania pela vitória, desejando-lhe sucesso à frente da prefeitura, e acrescentou que continuará trabalhando por Macapá e pelo Amapá.

"Que jamais nos esqueçamos de que a democracia é o pilar mais importante da sociedade", disse Alcolumbre. "Temos muitos investimentos federais para que Macapá continue o seu caminho de crescimento e prosperidade. Vence a vontade soberana das urnas."

Caos, protestos e escassez de alimentos

No dia 3 de novembro, 14 dos 16 municípios do Amapá ficaram sem fornecimento de energia depois que um incêndio destruiu os transformadores de uma subestação de distribuição de energia.

O apagão causou escassez de alimentos e impediu o fornecimento de água, dificultando também os cuidados sanitários contra o coronavírus.

A população ficou dias sem qualquer fornecimento de energia, que foi retomado de forma parcial, com rodízio e protestos por diversas cidades. No dia 18 de novembro, houve um segundo blecaute.