PUBLICIDADE
Topo

Em Minas Gerais, mulheres vencem três das quatro disputas no segundo turno

Margarida Salomão, Marília Campos e Elisa Araújo - Arte/UOL
Margarida Salomão, Marília Campos e Elisa Araújo Imagem: Arte/UOL

Vinicius Boreki

Colaboração para o UOL de Curitiba

30/11/2020 04h00

As mulheres foram as grandes vencedoras no segundo turno em Minas Gerais. Das quatro cidades do estado em que houve eleições no último domingo (29), três serão governadas por mulheres. Duas delas, candidatas pelo PT.

Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, deu Margarida Salomão (PT). Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, a vencedora foi Elisa Araújo (Solidariedade). Em Contagem, na Grande Belo Horizonte, Marília Campos (PT) levou a melhor. Em Governador Valadares, onde o pleito foi disputado por dois homens, André Merlo (PSDB), 55, acabou reeleito.

Segundo maior colégio eleitoral do estado, com 450 mil eleitores, Contagem (na Grande BH) assistiu a uma das disputas mais acirradas do Brasil. Com 92% das urnas apuradas, a diferença entre a deputada estadual Marília Campos (PT), de 59 anos, e Felipe Saliba (DEM) chegou a ser de apenas 4 votos - 132.919 para Saliba contra 132.915.

Na atualização seguinte, a petista apareceu com mais de 7 mil votos de diferença para Saliba e venceu pela terceira vez a prefeitura, com 51,31% da votação - ela já comandou a cidade entre 2005 e 2012. "Confesso que estava confiante que ia ganhar, mas achava que seria muito apertado. Eu não acompanhei a votação. Não tenho coração para acompanhar esse vai e vem", disse Marília ,em entrevista à Rádio Itatiaia.

De acordo com ela, o primeiro passo será montar uma equipe de transição considerando o atual cenário de pandemia. "De imediato, temos que fazer uma equipe de transição para cuidar emergencialmente de algumas questões. Neste primeiro momento, a prefeitura vai ter que amparar a atividade econômica e, desta forma, garantir renda e emprego", acrescentou.

PT em Juiz de Fora

O PT também comemora a vitória em Juiz de Fora. A deputada federal e professora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Margarida Salomão, de 70 anos, ssagrou vencedora em sua quarta tentativa de assumir o município de 570 mil habitantes, com 54,98% dos votos. Ela venceu o empresário Wilson Rezato (PSB), que disputou o cargo pela segunda vez.

"Eu sou prefeita de todo mundo. Sou prefeita da cidade. Vamos conversar com todo mundo. Temos canal aberto com todas as pessoas, incluindo com o Wilson [Rezato], que participou deste segundo turno. O bem de Juiz de Fora está acima de qualquer disputa", afirmou Margarida à Radio Itatiaia.

De acordo com a prefeita eleita, uma comissão composta por seis pessoas deve começar o trabalho de transição nesta semana. "Espero que, na semana que vem, já tenhamos a possibilidade de anunciar o secretariado, composto metade de mulheres e metade de homens, com homens e mulheres negros, para que a população seja representada", disse.

Primeira mulher em Uberaba

Eleita em Uberaba, Elisa Araújo (Solidariedade), de 38 anos, será a primeira mulher a comandar o município de 340 mil habitantes. Ela conquistou a prefeitura em sua primeira disputa eleitoral, com 57,36% dos votos, superando o ex-vereador do município e ex-deputado estadual Tony Carlos (PTB).

Ela comemorou o fato de uma mulher assumir a prefeitura. "É muita responsabilidade representar as mulheres. Farei isso com muito gosto e determinação, representando a força feminina na política", afirmou Elisa, em entrevista à TV Integração.

Segundo ela, a sua eleição representa a quebra de uma continuidade de governo na cidade do Triângulo Mineiro. "Nós já temos alguns nomes [para compor o secretariado], mas vamos dialogar. Temos muito servidores qualificados para ocupar as pastas de Uberaba. A base do governo será o diálogo", ressaltou.

Vitória diante do atual vice

Em Governador Valadares, André Merlo (PSDB) obteve 57,74% dos votos e venceu a disputa contra seu atual vice, Doutor Luciano (PSC). Na entrevista coletiva realizada após a confirmação do resultado, Merlo comemorou o fato de assumir a cidade já conhecendo a sua atual situação financeira.

"É muito diferente [ser reeleito]. A transição foi complicada na última eleição. Nós sabemos todos os números, onde existem problemas e para onde vamos recorrer para solucioná-los", declarou.