PUBLICIDADE
Topo

Crivella confia que pode reverter rejeição no 2º turno contra Paes no Rio

Atual prefeito votou hoje na escola Escola Municipal Sérgio Buarque de Holanda, na Barra da Tijuca - SAULO ANGELO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Atual prefeito votou hoje na escola Escola Municipal Sérgio Buarque de Holanda, na Barra da Tijuca Imagem: SAULO ANGELO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Fábio Grellet

Do Rio

15/11/2020 22h23

O prefeito do Rio de Janeiro e candidato à reeleição Marcelo Crivella (Republicanos) chegou por volta das 21h15 de hoje ao comitê de campanha em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade, onde vai acompanhar o final da apuração dos votos para prefeito do Rio neste primeiro turno.

Confiante de que seguirá na disputa com o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM), Crivella afirmou que o segundo turno é uma nova eleição, em que o desempenho dos dois governos será comparado.

"O segundo turno é mera comparação (entre) quem governou com muito dinheiro e quem governou com pouco, e o que cada um fez", afirmou.

Nas últimas pesquisas divulgadas pelo Ibope e Datafolha ontem, Crivella apareceu como o candidato mais rejeitado em ambas os levantamentos. O atual prefeito do Rio teve 59% dos eleitores ouvidos pelo Ibope e 62% pelo Datafolha dizendo que não votariam no representante do Republicanos de jeito nenhum.

"Tenho certeza de que os números que temos vão mudar. Minha rejeição é de gestão, não é pessoal. Quando os eleitores souberem tudo o que fizemos, isso pode ser revertido", afirmou.

"É diferente quando a rejeição é pessoal, quando o candidato é réu e está envolvido em corrupção", completou Crivella, alfinetando o provável adversário no segundo turno. Paes responde a acusação de fraude em licitações de obras olímpicas.

Logo após falar pela primeira vez, Crivella voltou aos microfones para anunciar que só vai se manifestar sobre a apuração amanhã, quando os resultados estiverem certos.

"Estamos todos cansados após um dia de muito trabalho", finalizou.