PUBLICIDADE
Topo

Boca de urna: Paes vai ao 2º turno e Crivella deve ficar com a outra vaga

Ibope aponta disputa entre um ex-prefeito e o atual prefeito do Rio no 2º turno das eleições - André Melo Andrade/Immagini/Estadão Conteúdo e Reginaldo Pimenta/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Ibope aponta disputa entre um ex-prefeito e o atual prefeito do Rio no 2º turno das eleições Imagem: André Melo Andrade/Immagini/Estadão Conteúdo e Reginaldo Pimenta/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

15/11/2020 17h15Atualizada em 15/11/2020 18h50

Pesquisa boca de urna realizada hoje pelo Ibope aponta para uma disputa entre um ex-prefeito e o atual prefeito do Rio de Janeiro no segundo turno da eleição para a prefeitura. Líder isolado no levantamento, Eduardo Paes (DEM) deve ficar com a primeira vaga, e Marcelo Crivella (Republicanos), com a segunda.

Ao todo, 39% dos eleitores ouvidos pelo Ibope disseram ter votado em Paes, enquanto 20% escolheram Crivella, que tenta a reeleição. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, nem Benedita (14%), nem Martha Rocha (11%) conseguiriam superar Crivella e chegar ao segundo turno.

Resultados da pesquisa boca de urna:

  • Eduardo Paes (DEM): 39%
  • Marcelo Crivella (Republicanos): 20%
  • Benedita da Silva (PT): 14%
  • Delegada Martha Rocha (PDT): 11%
  • Luiz Lima (PSL): 6%
  • Renata Souza (PSOL): 4%
  • Bandeira de Mello (Rede): 2%
  • Paulo Messina (MDB): 2%
  • Clarissa Garotinho (Pros): 1%
  • Fred Luz (Novo): 1%
  • Cyro Garcia (PSTU): 0%
  • Glória Heloiza (PSC): 0%
  • Henrique Simonard (PCO): 0%
  • Suêd Haidar (PMB): 0%

Nesta pesquisa, são considerados apenas os votos válidos, isto é, excluídos brancos, nulos e abstenções. Para ser eleito em primeiro turno, um candidato precisa alcançar 50% mais um dos votos válidos — a maioria simples.

O Ibope conversou com 5.000 pessoas em diferentes regiões da capital fluminense. A pesquisa foi registrada no TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro) sob o protocolo RJ-07184/2020 e tem nível de confiança estimado em 99%, o que significa dizer que há uma probabilidade de 99% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerada a margem de erro.

Pesquisas na véspera

Os cenários apontados pela boca de urna corroboram, em parte, com os divulgados ontem pelo próprio Ibope e pelo Datafolha. No primeiro, Paes aparecia com 41% das intenções de votos válidos, bem à frente de Crivella (16%), que empatava tecnicamente com Benedita (13%) e Martha (11%). A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

No Datafolha, porém, Crivella já aparecia isolado em segundo lugar, com 18% das intenções de votos válidos, atrás de Paes (40%) e à frente de Martha (13%) e Benedita (10%), que estavam tecnicamente empatadas na terceira posição. Nesta pesquisa, a margem de erro é de dois pontos.

Porcentagem Ibope de votos válidos:

  • Eduardo Paes (DEM): 41%
  • Marcelo Crivella (Republicanos): 16%
  • Benedita da Silva (PT): 13%
  • Delegada Martha Rocha (PDT): 11%
  • Luiz Lima (PSL): 7%

Porcentagem Datafolha de votos válidos:

  • Eduardo Paes (DEM): 40%
  • Marcelo Crivella (Republicanos): 18%
  • Delegada Martha Rocha (PDT): 13%
  • Benedita da Silva (PT): 10%
  • Luiz Lima (PSL): 6%

Apoio de Bolsonaro a Crivella

Jair Bolsonaro - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Rejeitado por cerca de 60% dos eleitores cariocas, segundo as pesquisas divulgadas ontem, Crivella tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na disputa pela reeleição. Bolsonaro indicou o nome do atual prefeito em suas lives semanais, durante o que chama de "horário eleitoral gratuito".

Já Paes tem evitado relacionar seu nome ao do presidente. Pela manhã, depois de votar, o ex-prefeito foi questionado sobre se o vínculo com Bolsonaro poderia atrapalhá-lo no segundo turno, mas desconversou.

"Essa eleição é para discutir o Rio de Janeiro. Está muito claro que o Bolsonaro apoia o Crivella, que o Lula apoia a Benedita, que o Ciro apoia a Martha, a Marina apoia o Bandeira (de Mello). E eu quero tratar do Rio", disse. "Fico sempre atrás do voto de todo mundo. Quero que todos os eleitores do Rio votem em mim".