PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Namorada de alemão desaparecido na Polinésia Francesa detalha suposto ataque

Do UOL Notícias<br>Em São Paulo

03/11/2011 20h42

A namorada do turista alemão que desapareceu na Polinésia Francesa detalhou, em entrevista a uma revista alemã, como escapou da morte nas mãos do suposto canibal que teria matado seu namorado.

O velejador Stefan Ramin fazia uma viagem pelo Pacífico Sul com a namorada Heiki Dorsch quando parou em uma ilha para participar de uma cerimônia local. Depois de sair para caçar com um guia chamado Henri Haiti, o velejador desapareceu.

Algumas semanas depois, a polícia local encontrou, em meio a brasas, cinzas, ossos e dentes que acredita ser de Ramin. A partir daí, surgiram notícias de que o velejador teria sido vítima de canibalismo, o que autoridades da Polinésia Francesa negam.

Na entrevista, Dorsch conta que ela e o namorado conheceram algumas pessoas na ilha enquanto estavam ancorados no local, incluindo o guia. “À noite ele voltou sozinho, dizendo que Stefan precisava de ajuda. Eu peguei uma tocha e o segui floresta a dentro”, contou Dorsch.

“De repente, ele me ameaçou. Colocou uma arma no meu nariz e disse em francês que eu ia morrer. Eu pulei na arma gritando: “Não, eu não vou morrer”, acrescentou, dizendo que, durante a briga, estava certa que ele iria violenta-la.

Quando conseguiu se livrar, ela conta que correu em direção à praia e nadou até o único barco que estava perto do seu. As pessoas que estavam a bordo a ajudaram e chamaram a polícia.

O guia continua sendo procurado na ilha de Nuku Hiva. As informações são do Daily Mail.

Internacional