PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Responsável por sistema de emergência confirma dois médicos mortos

Do UOL, em São Paulo

18/04/2013 09h32

O diretor do sistema de administração de emergências da cidade de West, George Smith, afirmou que ao menos dois médicos morreram e três bombeiros devem ser confirmados entre as vítimas da explosão em fábrica de fertilizantes no Texas (EUA) , na noite desta quarta-feira (17). Segundo Smith, a contagem de corpos pode chegar a 70.

Já o porta-voz da polícia de Waco, Patrick Swanton, disse nesta quinta-feira (18) que a explosão pode ter deixado entre cinco a 15 mortos. Em entrevista coletiva, Swanton afirmou que entre três e cinco bombeiros estão desaparecidos, e há pelo menos 179 feridos.

A explosão ocorreu na West Fertilizer, no pequeno município de West, localizado a cerca de 20 quilômetros ao norte de Waco, pouco antes das 20h locais (22h de Brasília), e chegou a ser escutada a quilômetros de distância.

Polícia descarta relação com atentado

"Toda a área em torno da fábrica é agora a cena do crime, submetida a investigação", disse Swanton, para em seguida descartar a possibilidade de ligação entre a explosão e o recente atentado na Maratona de Boston e o envio de carta com substância letal endereçada à Casa Branca.

"Não temos indício de que tenha sido algo mais do que um acidente industrial ou que tenha ocorrido uma atividade criminosa, mas estamos investigando", disse Swanton.

O policial informou que aproximadamente meia hora depois dos bombeiros receberem o aviso do incêndio, no momento em já estavam trabalhando para controlá-lo, registrou-se "uma explosão enorme com efeitos devastadores".

A Agência Federal de Tabaco, Álcool e Armas de Fogo (ATF, na sigla em inglês) se juntou à investigação, ocorrido em uma semana que começou com a explosão de duas bombas em Boston e o envio à Casa Branca e ao Senado de envelopes supostamente contaminados com uma substância química.

"A explosão demoliu casas e edifícios", disse Swanton. "Seguimos na fase de busca e socorro. O pessoal está indo porta por porta, casa por casa na busca de pessoas que possam estar feridas e não puderam sair".

Empresa descartou risco, diz jornal

Em um relatório à Agência de Proteção ambiental do Texas, a companhia Adubos West relatou recentemente que a fábrica não apresentava perigo de incêndio ou explosão, segundo o jornal "The Dallas Morning News".

A empresa informou que havia 24,5 toneladas de amoníaco na fábrica, mas que se a substância vazasse não provocaria lesões.

O jornal citou as recomendações da indústria para o manejo de compostos químicos que advertem que em caso de incêndio os bombeiros não devem misturar água diretamente com o amoníaco, "já que isto pode resultar em um aquecimento do produto, que fará com que o líquido se torne uma nuvem de vapor".

O prefeito de West, Tommy Muska, confirmou que cinco ou seis quarteirões de edifícios contíguos sofreram danos graves e explicou que as autoridades estão preocupadas pelos vapores químicos que podem ter escapado da fábrica.

Internacional