PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA reconhecem preocupação de Brasil com espionagem, mas falam em distorção da imprensa

Do UOL, em São Paulo

11/09/2013 21h55

A Casa Branca disse nesta quarta-feira (11), de acordo com as agências de notícias Reuters e EFE, que se compromete a trabalhar com o Brasil nas preocupações sobre espionagem à presidente Dilma Rousseff e à Petrobras. Susan Rice, Assessora de Segurança Nacional no governo Obama, reuniu-se hoje com o chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, para responder aos questionamentos do Brasil quanto aos documentos que indicam que houve espionagem.

"A Assessora de Segurança Nacional expressou ao ministro Figueiredo que os Estados Unidos compreendem que as recentes revelações à imprensa, algumas das quais distorceram nossas atividades e outras provocaram questões legítimas por nossos amigos e aliados (...),  criaram tensões na muito estreita relação bilateral com o Brasil", afirmou Caitlin Hayden, porta-voz de Rice, em um comunicado, após a reunião do ministro e da assessora na Casa Branca.

Neste sentido, acrescentou Hayden, "os Estados Unidos estão comprometidos a trabalhar com o Brasil para encarar estas preocupações, enquanto seguimos trabalhando de maneira conjunta em uma agenda compartilhada de iniciativas bilaterais, regionais e globais".

A declaração é consequência do encontro entre Dilma e Obama na semana passada, durante a reunião do G20, na Rússia, quando o presidente dos EUA se comprometeu a dar explicações sobre os casos de espionagem.

  • 11733
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2013/09/05/voce-acha-que-a-presidente-dilma-rousseff-deve-cancelar-visita-aos-eua-prevista-para-outubro-por-causa-da-suposta-espionagem-americana.js

Segundo Hayden, a reunião de hoje entre Rice e Figueiredo é “parte desse diálogo” e do compromisso expressado por Obama, na Rússia, de “trabalhar dentro dos canais diplomáticos para responder a essas preocupações”. 

A assessora Rice afirmou que “os EUA estão conduzindo uma ampla revisão de suas atividades de inteligência para assegurar que são desenvolvidas adequadamente e em consistência com nossos interesses nacionais, incluídas nossas relações com aliados-chaves”.

“Estados Unidos e Brasil disfrutam de uma forte e estratégica aliança baseada em nossos interesses comuns como democracias multiculturais e grandes economias”, diz a nota.

O setor de imprensa da Embaixada brasileira na capital americana informou, por telefone à Agência Brasil, que as conversas com o governo dos Estados Unidos continuam e que, após o encontro com Rice, Figueiredo não deu declarações.

As informações foram ‘vazadas’ pelo jornalista norte-americano Glenn Greenwald (por meio do ex-agente Edward Snowden, que denunciou o esquema de vigilância dos EUA) e exibidas pela TV Globo. (Com agências internacionais e Agência Brasil)

Internacional