Coreia do Norte testa míssil que pode atingir "qualquer lugar do mundo"

Do UOL, em São Paulo

  • KCNA via Reutesr

    Agência oficial norte-coreana KCNA divulga foto do lançamento do míssil balístico intercontinental Hwasong-14

    Agência oficial norte-coreana KCNA divulga foto do lançamento do míssil balístico intercontinental Hwasong-14

A Coreia do Norte realizou nesta terça-feira (4) um novo teste com mísseis balísticos, disparando pelo menos um projétil em direção ao Mar do Japão (chamado de "Mar do Leste" nas duas Coreias).

De acordo com a CNN, que cita fontes norte-coreanas, o míssil seria capaz de atingir "qualquer lugar do mundo". O teste aconteceu por volta das 9h40 (21h40 de segunda-feira em Brasília) na província de Pyongan do Norte.

O lançamento foi realizado da base aérea de Panghyon, onde no último dia 12 o exército da Coreia do Norte testou seu novo míssil, o Pukguksong-2, com alcance estimado de 3 mil quilômetros.
 
O porta-voz do governo do Japão, Yoshihide Suga, disse em entrevista coletiva que acredita que o projétil caiu nas águas da Zona Econômica Especial, que abrange uma área de 200 quilômetros além da costa do país.
 
O teste balístico norte-coreano, o primeiro desde 8 de junho, quando Pyongyang disparou um míssil de cruzeiro, ocorre logo depois de o novo presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, terem se reunido em Washington para discutir a ameaça do regime de Kim Jong-un. 

Entenda o programa de mísseis norte-coreano

Independência dos EUA

O lançamento acontece no dia em que os Estados Unidos celebram o Dia da Independência. Pelo Twitter, o presidente americano comentou o lançamento.

"A Coreia do Norte acabou de lançar um outro míssil. Esse cara não tem nada melhor para fazer na vida? Difícil acreditar que a Coreia do Sul e o Japão vão aturar isso por muito mais tempo. Talvez a China possa fazer um movimento pesado com relação à Coreia do Norte e acabar com esse absurdo de uma vez por todas", disse, em duas publicações.

A data do lançamento antecede ainda reunião do G20, que reúne as 20 maiores economias do mundo. O encontro está programado para acontecer nos dias 7 e 8 deste mês.

O míssil caiu no Mar Oriental, como os coreanos chamam o Mar do Japão, segundo a nota. Uma porta-voz do ministério sul-coreano da Defesa disse que o míssil pode ter caído dentro da zona econômica exclusiva do Japão, a menos de 200 milhas náuticas de sua costa.

Já a Rússia disse que o míssil disparado corresponde a um projétil de médio alcance e não intercontinental como anunciou Pyongyang. "Os parâmetros de voo correspondem com as características de um míssil de médio alcance", diz o ministério russo, através de um comunicado.

A nota oficial afirma que o lançamento foi em direção oposta a fronteira russa e "não representou perigo para a Rússia".

Segundo o Japão, o míssil balístico voou a uma altura "muito superior" aos 2,5 mil quilômetros. O Ministério da Defesa do Japão disse que pode ter sido a maior altura atingida por um projétil norte-coreano deste tipo.

Tóquio acrescentou que os detalhes do míssil "continuam sendo analisados" para determinar de que tipo era, segundo o comunicado divulgado pelo Ministério da Defesa.

(Com agências internacionais)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos