Lançamento norte-coreano é "nova ameaça para o mundo", dizem EUA

Do UOL, em São Paulo

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, confirmou nesta terça-feira (4) que a Coreia do Norte lançou na véspera um míssil balístico intercontinental e afirmou que o lançamento é uma "nova ameaça para o mundo".

Tillerson afirmou ainda que trata-se de uma "nova escalada na ameaça" aos EUA e ao mundo e que Washington "nunca vai aceitar uma Coreia do Norte com armas nucleares". 

Em resposta, EUA e Coreia do Sul fizeram disparos de treinamento de mísseis balísticos nesta tarde, menos de 24 horas depois do teste norte-coreano.

"Os EUA condenam fortemente o lançamento de um míssil balístico intercontinental [ICBM] pela Coreia do Norte", disse Tillerson em nota. "Testar um ICBM representa uma nova escalada da ameaça aos EUA, aos nossos aliados e parceiros, à região e ao mundo."

Tillerson acrescentou que uma "ação global é necessária para impedir uma ameaça global".

No Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou: "Esse cara não tem nada melhor a fazer da vida?"

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança para abordar o novo lançamento da Coreia do Norte. A reunião, a porta fechadas, foi marcada para esta quarta-feira (5).

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também condenou o teste. "Esta ação é mais uma violação descarada das resoluções do Conselho de Segurança e constitui uma escalada perigosa da situação", afirmou Guterres em um comunicado.

Ele acrescentou que a "liderança da Coreia do Norte deve evitar novas ações provocativas e cumprir plenamente suas obrigações internacionais".

Até o momento, os EUA haviam minimizado o alcance do míssil, afirmando que se tratava de um projétil de médio alcance. Trata-se do 11º teste realizado pela Coreia do Norte desde o início do ano.

Entenda o programa de mísseis norte-coreano

O míssil voou por mais tempo do que todos os outros testados pelo regime de Kim Jong-un até então, um total de 37 minutos.

Segundo analistas, o fato de ser um míssil intercontinental significa que a Coreia do Norte estaria em condições de atingir o Alasca. Em janeiro, o presidente Donald Trump afirmara que isso jamais aconteceria.

A agência oficial norte-coreana afirmou ainda que o míssil balístico intercontinental é capaz de carregar uma "carga grande e pesada".

A Korean Central News Agency citou o líder Kim Jong-Un dizendo que o confronto com os Estados Unidos entrou em sua "fase final".

Brasil

O governo brasileiro manifestou "grave preocupação" com o lançamento norte-coreano. "Além de colocarem em risco a segurança de países vizinhos, lançamentos com emprego de tecnologia de mísseis balísticos constituem violações da RPDC a resoluções do Conselho de Segurança", afirmou nota do Itamaraty. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos