Integrantes do Pussy Riot são presas após protesto perto de presídio

Do UOL, em São Paulo

  • AP

    Integrantes da banda Pussy Riot realizam protesto em ponte próxima a presídio em Yakutia, Rússia

    Integrantes da banda Pussy Riot realizam protesto em ponte próxima a presídio em Yakutia, Rússia

Duas integrantes do grupo punk Pussy Riot foram presas nesta segunda-feira (7) depois de realizar protesto no presídio onde um cineasta ucraniano está preso.

As duas integrantes fizeram um protesto no domingo (6) na prisão Yakutia, na Sibéria, Rússia, onde Oleg Sentsov está presto e colocaram uma faixa em uma ponte próxima com as palavras "Liberte Sentsov".

Maria Layokhina e Olga Borisova foram detidas nesta segunda-feira. Um vídeo publicano no Mediazona, um site focado em notícias sobre justiça e questões legais, mostra policiais parando um carro onde estavam as duas mulheres e levando-as para a delegacia.

Sentsov, que é da Crimeia anexada pela Rússia em 2014, foi condenado em um tribunal militar russo em 2015 por planejar ataques terroristas. Ele foi condenado a 20 anos de prisão.

As acusações contra ele são consideradas de motivação política e várias personalidades do mundo das artes na Rússia e no exterior defendem a sua libertação.

Pussy Riot é uma banda punk em que a maior parte de suas integrantes são anônimas. Mulheres usando balaclava se tornaram conhecidas em 2012 quando faziam performances em locais públicos contra o presidente russo Vladimir Putin e a elite local.

No entanto, uma apresentação na principal catedral de Moscou, a Catedral do Cristo Salvador, foi a mais problemática. Três integrantes foram condenadas por vandalismo motivado por ódio religioso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos