PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Coreia do Norte faz novo lançamento de mísseis no Mar do Japão

Do UOL, em São Paulo

25/08/2017 19h45Atualizada em 25/08/2017 21h44

Autoridades sul-coreanas e japonesas confirmaram que a Coreia do Norte fez um novo lançamento de mísseis balísticos na noite desta sexta-feira (25). O projétil teria voado cerca de 250 km até cair no Mar do Japão.

O lançamento teria sido feito de Gangwon, província que faz fronteira com a Coreia do Sul. Segundo militares sul-coreanos, foram lançados vários projéteis de curto alcance. Analistas acreditam que o lançamento tenha sido parte de um exercício militar, e não um teste de projéteis.

"O primeiro e o terceiro míssil (...) falharam no ar. O segundo míssil parece ter explodido quase imediatamente", disse o comandante Dave Benham, porta-voz do Comando dos Estados Unidos no Pacífico, afirmando que os lançamentos ocorreram em um período de 30 minutos.

Esta semana, a Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram exercícios militares anuais conjuntos, em um contexto de alta tensão e de guerra retórica entre Washington e Pyongyang.

Os dois aliados apresentam estas operações como defensivas, mas para Pyongyang representam uma repetição provocadora da invasão de seu território. A cada ano, a Coreia do Norte ameaça com represálias militares.

Também nesta semana, o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou durante uma visita a um instituto científico militar a produção de mais motores de foguetes de combustível sólido e ogivas de mísseis.

Kim deu as instruções relacionadas ao programa de mísseis no Instituto de Materiais Químicos da Academia de Ciência Militar, que fabrica as ogivas dos mísseis balísticos intercontinentais e desenvolve materiais de compostos de carvão para os motores dos foguetes. 

Os Estados Unidos e a Coreia do Norte protagonizaram este mês uma das piores escaladas retóricas dos últimos anos, que começou quando Pyongyang ameaçou atacar o território americano em resposta às sanções da ONU por seus lançamentos recentes de mísseis balísticos intercontinentais.

Trump respondeu a essa ameaça com um tom beligerante, o que não é comum, e levou o regime norte-coreano a ameaçar realizar um ataque contra a ilha de Guam, um território administrado pelos EUA no Pacífico Ocidental. 

A tensão verbal diminuiu nas últimas semanas, mas ainda pode ser reativada com os exercícios militares conjuntos de EUA e Coreia do Sul, que começaram esta semana e mobilizam cerca de 67.500 soldados na península coreana. (Com agências internacionais)

Internacional