PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Risco de explosão força esvaziamento de indústria química alagada no Texas por falha elétrica

Do UOL, em São Paulo

29/08/2017 21h03

Uma indústria química no sudeste do Texas foi esvaziada nesta terça-feira (29) por risco de explosão depois que a tempestade Harvey desligou a energia das instalações e inundou os geradores. Moradores da região também foram removidos de suas casas.

O grupo Arkema, dono da indústria, afirmou que a situação de sua fábrica em Crosby “tornou-se séria”. A planta foi atingida por mais de 1m de água, e o alagamento atingiu a área dos geradores. O local está sem eletricidade desde domingo.

O principal problema é manter a refrigeração dos produtos químicos no local, que são armazenados em baixas temperaturas. A fábrica perdeu a refrigeração quando os geradores de backup foram inundados e, em seguida, os trabalhadores transferiram os produtos dos armazéns para recipientes refrigerados a diesel.

A empresa está monitorando os níveis de temperatura remotamente. A Arkema está trabalhando com o Departamento de Segurança Interna dos EUA e com o governo do Texas. "Embora não acreditemos que haja um perigo iminente, o potencial de uma reação química levando a um incêndio e/ou a uma explosão dentro dos limites do local é real", afirmou a empresa.

O prefeito de Houston impôs nesta terça-feira um toque de recolher entre as 22H00 e as 05H00 locais (00H00 e 07H00 no horário de Brasília). Sylvester Turner explicou no Twitter que a medida tem por objetivo "impedir roubar as moradias evacuadas nos limites da cidade".

Trump: Danos épicos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou ao Texas nesta terça-feira e prometeu que o governo fará uma resposta completa à devastadora tempestade Harvey, o maior desastre natural ocorrido desde que assumiu a Casa Branca, enquanto as autoridades de Houston lutavam para administrar as chuvas recordes.

A tempestade, que se move lentamente, provocou inundações catastróficas no Texas, forçou retiradas em massa e paralisou Houston, a quarta maior cidade dos EUA. Autoridades municipais estavam se preparando para abrigar até 19 mil pessoas, e mais milhares devem fugir da área conforme as inundações entraram no quarto dia.

As autoridades do condado de Harris, onde Houston se situa, disseram que os reservatórios e diques construídos para o escoamento das águas começaram a transbordar nesta terça-feira. Elas incentivaram os moradores a se retirarem enquanto liberam a água para aliviar a pressão em duas represas, uma medida que intensificará a inundação ao longo do curso de água de Buffalo Bayou, que atravessa a área.

O condado de Brazoria, ao sul de Houston, também orientou a retirada imediata nos arredores de um dique de Columbia Lakes que foi rompido pelas enchentes do Harvey, o mais poderoso furacão a atingir o Texas em mais de 50 anos.

Trump, falando em Corpus Christi, perto de onde Harvey tocou a terra na semana passada, disse querer que o esforço de socorro seja um exemplo de como responder a uma tempestade. "Queremos fazê-lo melhor do que nunca", disse ele. “Esta tempestade, é épico o que aconteceu. Mas vocês sabem, isso aconteceu no Texas, e o Texas pode lidar com qualquer coisa", afirmou Trump, antes de agitar uma bandeira do Estado do Texas.

A tempestade quebrou os recordes de chuva do Texas em um local de medição situado ao sul de Houston, que registrou 1,25 metro de precipitação desde a chegada do Harvey. As chuvas atuais são mais do que a região recebe normalmente em um ano e ultrapassaram o volume de 1,22 metro registrado em 1978.

Vários saqueadores foram presos de segunda para terça-feira, disse a polícia.

O Harvey abalou os mercados de energia e causou estragos estimados em bilhões de dólares. A reconstrução deve se estender além do mandato de quatro anos de Trump no cargo.

O Harvey deve alcançar a Louisiana no início da quarta-feira, um dia depois do 12º aniversário do Furacão Katrina. (Com a Reuters)

Internacional