Pedestre que atravessar a rua de olho no celular pode tomar multa de até R$ 300 no Havaí

Do UOL, em São Paulo

  • Tamas-V/iStock

Honolulu, a capital do Havaí (EUA), implantou nesta semana a lei que proíbe que os pedestres atravessem as ruas da cidade olhando no celular, infração sujeita a multa. A medida, aprovada em julho, visa conter os atropelamentos e inclui smartphones, videogames e laptops.

A lei entra em vigor no dia 25 de outubro. Se for pego em flagrante pela polícia, o pedestre pode receber multas que variam entre US$ 15 (R$ 47) e US$ 35 (R$ 109) na primeira infração; de US$ 35 a US$ 75 (R$ 235) na reincidência, e até US$ 99 (R$ 310) no terceiro flagrante.

Segundo a "The Economist", o Havaí tem um dos mais altos índices de morte em atropelamentos no país e é a primeira grande cidade americana a proibir a chamada "caminhada distraída". De acordo com a publicação, 6.000 pedestres morreram atropelados nos Estados Unidos no ano passado; entre 2000 e 2011, telefones celulares foram apontados como responsáveis por 11 mil acidentes do tipo.

As pessoas ainda podem falar ao telefone enquanto atravessam a rua. Mas mexer no celular só será permitido nas calçadas. Pessoas que estiverem discando para serviços de emergência enquanto atravessam a rua também não serão multadas.

Antes de aprovar a lei, o prefeito de Honolulu, Kirk Caldwell lamentou a medida, mas disse que ela era necessária por causa da "falta de bom senso". "Temos a infeliz distinção de sermos uma cidade importante com mais pedestres atingidos nas travessias, particularmente nossos idosos, em números quase superiores ao de qualquer outra cidade na região", disse Caldwell.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos