Chamada de "inferno na Terra" pela ONU, região síria sofre novos ataques

Do UOL, em São Paulo

  • Bassam Khabieh/ Reuters

    Carros e prédios destruídos em Douma, em Ghouta Oriental, na Síria

    Carros e prédios destruídos em Douma, em Ghouta Oriental, na Síria

Forças sírias lançaram ataques nesta segunda-feira (26) na região de Ghouta Oriental, no subúrbio de Damasco, apesar da resolução do Conselho de Segurança da ONU exigindo 30 dias de de cessar-fogo na Síria, enquanto o secretário-geral da ONU descreve a violência na região como "inferno na Terra".

"Ghouta Oriental não pode esperar, é tempo de acabar com esse inferno na Terra", disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao Conselho de Segurança da ONU, que iniciou sua principal sessão anual de quatro semanas em Genebra.

Guterres pediu nesta segunda-feira que os lados em conflito implementem um cessar-fogo de 30 dias na Síria, em linha com pedido feito por grandes potências durante o final de semana.

Agências da ONU estão prontas para entregar ajuda humanitária e retirar feridos em estado grave do enclave sírio controlado por rebeldes de Ghouta Oriental, onde 400 mil pessoas têm vivido sitiadas, disse Guterres.

O alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad al-Hussein, disse que ataques aéreos em Ghouta Oriental continuavam na manhã desta segunda-feira.

Pelo menos nove pessoas, entre elas três menores e uma mulher, morreram na última madrugada em decorrência dos bombardeios contra Duma, a maior cidade da região de Ghouta Oriental, segundo ativistas.

Um porta-voz da Defesa Civil Síria, Mahmoud Adam, cujo grupo efetua trabalhos de resgate em áreas fora do controle do governo, disse que o ataque foi realizado por aviões russos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos também confirmou o bombardeio e disse que Duma é o principal reduto da facção islamita Exército do Islã.

O adeus ao filho morto no bombardeio sírio

Outro civil morreu hoje por disparos de projéteis do tipo terra-terra na cidade de Harasta, segundo o Observatório, que acrescentou que também houve bombardeios de aviões de origem desconhecida contra a cidade de Al Shifunía, que foi, além disso, alvo do lançamento de projéteis.

Nas últimas horas ocorreram bombardeios em outras partes de Ghouta Oriental, como a cidade de Al Neshabia e os arredores da região de Al March, que ontem foi palco de combates entre o Exército do Islã e as forças governamentais sírias.

Há uma semana Ghouta Oriental vive uma escalada dos ataques por parte da aviação síria e russa e da artilharia governamental, que causaram centenas de mortos e feridos.

Há dois dias o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução na qual pede uma trégua de 30 dias na Síria, sem que, por enquanto, isso tenha provocado uma redução das hostilidades. (Com as agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos