Topo

Trump demite o secretário de Estado Rex Tillerson, e diretor da CIA assumirá o cargo

JIM WATSON/AFP
Donald Trump discursa ao lado do então secretário de Estado, Rex Tillerson, no ano passado Imagem: JIM WATSON/AFP

Do UOL, em São Paulo

13/03/2018 10h01Atualizada em 13/03/2018 13h49

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (13) que substituiu o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, pelo diretor da CIA, Mike Pompeo, acrescentando que Gina Haspel passará a liderar a agência de inteligência norte-americana. 

A saída de Tillerson teria sido discutida em diversas ocasiões, segundo afirmam fontes da Casa Branca sob anonimato. O convite feito por Kim Jong-un para reunir-se com Trump e a possibilidade de dialogar com a Coreia do Norte teriam acelerado a decisão. Trump queria uma nova equipe no comando do diálogo com a Coreia do Norte e em outras negociações comerciais.

"Mike Pompeo, diretor da CIA, se tornará nosso novo secretário de Estado. Ele fará um trabalho fantástico! Obrigado a Rex Tillerson por seus serviços! Gina Haspel se tornará a nova diretora da CIA, e a primeira mulher a ser escolhida. Parabéns a todos!", disse Trump no Twitter.

"Rex e eu conversamos sobre isso por muito tempo. Nos demos bem por um período, mas discordávamos sobre muitas coisas. O acordo com o Irã achei que era terrível, ele achou que estava bem. Eu queria rompê-lo, ou fazer algo, ele sentia um pouco diferente. Então, realmente, não estávamos pensando do mesmo jeito", completou.

Pompeo ainda precisa ser aprovado pela Comissão do Senado dos EUA. Gina Haspel, vice-diretora da CIA, assumirá a liderança da agência no lugar de Pompeo e será a primeira mulher a assumir o cargo. 

Tillerson tinha acabado de retornar de um giro pela África horas antes da demissão. Fontes ouvidas pela agência Associated Press sob anonimato afirmaram que Tillerson teria sido demitido na sexta-feira, quando estava na África, enquanto a rede americana NBC diz que ele foi informado sobre sua demissão pelo tuíte de Trump.

Segundo o subsecretário de Estado Steve Goldstein, Tillerson não teria falado com Trump e não saberia a razão pelo qual foi demitido. "O secretário não falou com o presidente esta manhã e não tem conhecimento do motivo, mas ele está grato pela oportunidade de servir e ainda acredita piamente que o serviço público é uma vocação nobre e não se arrepende de nada", declarou.

Atritos com Trump

O secretário de Estado tinha ressalvas quanto às conversas com Kim Jong-un. Tillerson e Trump divergiram com frequência sobre vários tópicos da política externa dos Estados Unidos. Relatos de estranhamentos entre os dois existiam desde outubro do ano passado.

O presidente criticou o secretário publicamente em diversas ocasiões, inclusive na segunda-feira, quando os comentários de Tillerson sobre a Rússia pareciam estar em desacordo com os da Casa Branca -- ele emitiu uma resposta muito mais forte do que a da Casa Branca sobre o envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido, nomeando a Rússia como suspeita, o que a porta-voz de Trump, Sarah Sanders, evitou.

Tillerson também pareceu não estar a par, na semana passada, quando Trump anunciou que iria se encontrar com o líder norte-coreano e se tornar o primeiro presidente dos Estados Unidos em exercício a fazê-lo.

Ex-CEO da multinacional de petróleo e gás Exxon-Mobil, RexTillerson recebeu a medalha da "Ordem de Amizade" da Rússia e é conhecido por sua amizade com o presidente Vladimir Putin.

Em outubro, Tillerson foi obrigado a convocar uma entrevista coletiva aos jornalistas para negar boatos de que estaria pensando em deixar o posto --segundo a imprensa americana, ele teria chamado Trump de idiota depois de uma reunião no Pentágono.

Saul Loeb/AFP Photo
Mike Pompeo, diretor da CIA, deve assumir como secretário de Estado de Trump Imagem: Saul Loeb/AFP Photo

Em nota, Pompeo agradeceu Trump pela oportunidade de servir como secretário de Estado. "A liderança de Trump tornou a América mais segura e estou ansioso para representá-lo e ao povo americano perante o resto do mundo para dar continuidade à prosperidade americana", afirmou.

Pompeo era congressista pelo Kansas e membro do movimento ultraconservador Tea Party antes de assumir o comando da CIA. (Com agências internacionais)