Topo

Brasileira acusa namorado de agredi-la nos EUA e grava áudio durante briga; ouça

Rafael Pezzo

Colaboração para o UOL

26/09/2018 16h10

Uma universitária brasileira de 22 anos que mora nos Estados Unidos acusa o ex-namorado de tê-la agredido no último domingo (23), em Tampa, na Flórida. A reportagem tentou entrar em contato com Melissa Gentz, mas de acordo com a mãe dela, Solange Gentz, a filha "não tem condições psicológicas" para se manifestar no momento. Ao UOL, Ciani Marques, amiga da mineira, confirmou que as agressões começaram depois que ela não permitiu que o Erick Bretz, de 25 anos, mexesse em seu celular. O homem chegou a ser preso, mas foi liberado nesta terça-feira (25) após pagar fiança de US$ 60 mil.

Um áudio gravado pela universitária durante a briga que circula pelas redes sociais mostra o comportamento agressivo de Bretz. "Eu pedi para você não tirar o celular da minha mão daquele jeito", diz a jovem em outro momento, ao que o acusado responde: "Quando eu pedir, você me dá!". Na gravação, o acusado chama a namorada de "burra" e diz que ela não aceita que um homem tenha dominância sobre ela. "Você acha que é o homem da relação. Mas você não é, você é uma mulher, 'véi', aceita a sua realidade."

Segundo Ciani, o casal estava na casa de Bretz assistindo a um filme, quando ele começou a beber. No entanto, por tomar remédios para dormir, não era indicado pelos médicos que ele ingerisse bebida alcoólica. A partir de então, o então namorado de Melissa ficou agitado e demonstrou agressividade depois que ela não deixou que ele pegasse seu celular.

Com hematomas no olho esquerdo, Melissa publicou uma série de vídeos em sua conta no Instagram e agradeceu as mensagens de apoio que tem recebido. "Eu ainda não estava pronta para mostrar minha cara no Instagram, nem postar vídeo mostrando meu estado, mas eu queria muito agradecer a todas as pessoas que têm me mandado mensagem, que têm me apoiado", disse emocionada. "Eu não tenho como agradecer a todas as mulheres e homens que têm me mandado mensagem, me mostrando tanto apoio, tanto amor, tanto entendimento."

Leia mais:

Além de agradecer, a jovem deixa uma mensagem para as mulheres. "O homem que faz isso uma vez nunca vai mudar. Eu não teria terminado o relacionamento não fosse pelo último ocorrido. Então, por favor, terminem antes que seja tarde de mais", afirmou. A estudante de biologia também informou que seus pais viajaram de Belo Horizonte a Miami para ficar ao lado dela.

Em uma foto em que aparece com um hematoma no rosto, publicada na mesma rede social, a brasileira escreveu: "Eu queria ser forte toda hora, mas nem sempre consigo ser assim. Estou muito triste no momento, minha ficha está começando a cair e eu só quero chorar. Preciso ter força, levantar a cabeça. Mas sou ser humano e tenho que aceitar meu sofrimento também. Faz parte da cura."

Um dia depois das agressões, ela republicou uma imagem que havia sido apagada sem seu consentimento pelo ex-namorado. Segundo ela, Bretz havia alegado que "mulher com namorado não podia ter foto 'mostrando os seios'. "Eu peço que TODAS as mulheres possam ter força e coragem para terminar relacionamentos abusivos como o meu último. Começou com reclamações das minhas fotos no Instagram, depois dos comentários nas fotos, mensagens que eu recebia no WhatsApp, até que ele me pegou pelo cabelo e disse que eu precisava aceitar minha realidade porque eu era a mulher da relação", escreveu. "Um homem que te trata assim não te respeita e não te vê nem como ser humano. Ele não vai mudar. Se coloque em primeiro lugar sempre antes que seja tarde demais."

Ainda de acordo com a amiga de Melissa, "ela está processando tudo o que aconteceu" e tomará "as medidas jurídicas necessárias" sobre o caso. 

Ao UOL, o Departamento de Polícia de Tampa confirmou que o homem foi preso na noite do último domingo (23), acusado de "violência doméstica por estrangulamento e intimidação à vítima". No entanto, deixou a prisão nesta terça-feira (25) após pagar uma fiança de cerca de R$ 243 mil.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores afirmou que o Consulado Brasileiro em Miami está acompanhando o caso. No entanto, o escritório nos Estados Unidos informou que, em respeito à privacidade dos envolvidos, não fornecerá informações pessoais sobre os envolvidos.

Notícias